domingo, 7 de janeiro de 2018

Rapidinha no banheiro

Quando o desejo a bate a nossa porta fica praticamente impossível resistir.

Mesmo sendo casada nunca esqueci das mulheres que já passaram por minha cama, mas ter recordações é algo completamente normal. Mas nem sempre essas recordações vem sozinha, vem junto a saudade, o desejo de vivenciar tudo aquilo novamente.

Meu marido sempre me realizou, sempre gostei do bom sexo que temos, mas as vezes eu quero mais, quero uma mulher, quero sentir seu prazer na minha boca e isso não quer dizer que eu ame menos meu marido, as pessoas dizem que quem ama não trai. Discordo! Quem ama sente desejo, sente tesão por outras pessoas e eu que me deixei levar pelo desejo, pelo momento e confesso que não me arrependi.

 Meu coração bate acelerado...

-Anita, ei está me ouvindo?

-Oi Fred claro que estou, estava pensando... que horas o pessoal vai chegar?

-meu amor, logo menos nossos amigos chegam!

Fred chama o garçom e pede um whisky com gelo para ele e para mim um vinho tinto.

 Olho para Amanda que está numa mesa próxima e fico sem jeito, tento disfarçar para o meu marido não perceber.

Amanda estava linda, usava um blusinha de alça vermelha e uma calça jeans preta e um salto preto, seus cabelos pretos que iam até a cintura estava soltos e aquele olhar que me fascinava, azuis que se destacava pelos cabelos pretos.

-Eles chegaram amor!

Abro um sorriso e comprimento a todos que estão acompanhados de suas esposas.

-Aff ter que aguentar essa novela!
Pensei sem deixar com que percebam minha insatisfação.

Aquele jantar estava um porre, odeio fazer pose para os sócios do meu marido, todos estavam conversando e dando risadas, embora estivesse participando da conversa meu olhar sempre ia ao encontro com o de Amanda.

-Com licença vou ao toalete.

Levantei quando uma das esposas se levantou rapidamente pedindo para que a esperasse que iria comigo, esperei e pude sentir o olhar de Amanda me despir, estava com um vestido branco rodado que ia até o meio das coxas, e um salto nude meus cabelos estavam preso em um rabo de cavalo bem alto.

Ao entrar no toalete digo que tenho que voltar à mesa, pois esqueci a bolsa (propositalmente, assim ganharia tempo para ela voltar à mesa antes de mim) pois queria respirar e queria ficar sozinha por alguns minutos.

Voltei a mesa e enrolei um pouco e quando voltei ao toalete e ela já estava chegando a mesa.

Apoiei minhas mãos no lavabo e me olhei no espelho respirando fundo, não queria me envolver com Amanda não estava acreditando que ela estava ali depois de tanto tempo sem ter contato com ela, não podia mais te-la nos meus pensamentos.

-Como estás bela com esse vestido branco.

Amanda falou sussurrando no meu ouvido.

Senti um arrepio percorrer por todo corpo, seus dedos deslizaram pelo meu pescoço em direção ao ombro, me viro bruscamente e sou surpreendida com um beijo, naquele momento me entrego aqueles beijos sem pensar que alguma daquelas esposas poderiam entrar no toalete, meu corpo estava pegando fogo, já não aguentava ficar no mesmo ambiente que ela e não toca-la.

- Quanto tempo amor!

Amanda disse me puxando para dentro de uma das cabines, me empurrou contra a parede e voltou a me beijar, suas mãos passeavam por todo meu corpo, meu coração estava acelerado, meu corpo queimava de desejo por aquela mulher, sentia seus dedos me invadir enquanto seus lábios me beijavam com veracidade, logo minhas mão foram de encontro com o corpo daquela mulher deliciosa, minhas mãos retiravam parte de cima da sua roupa, meus lábios mordiscava sua orelha e pescoço e logo chegaram aos seios, mordiquei um depois o outro, empurrei Amanda contra a outra parede e terminei de retirar parte debaixo de sua roupa, passei meus dedos em sua boceta e logo adentrei com dois dedos, Amanda gemia ao pé do meu ouvido, estava completamente tomada pelo tesão, sentir aquela boceta que pulsava em meus dedos, o gosto de sua boca, aquele perfume adocicado e a expressão naquele olhar só me deixava mais excitada. Deslizei minha boca pelo seu corpo até chegar em sua boceta, Segurei em suas coxas em seguida apoiei uma de suas pernas no meu ombro, passei minha língua debaixo para cima até chegar em seu clitóris suguei ele com gosto, meus dedos fodiam aquela boceta enquanto sentia seu sabor, mordiscava aquele clitóris e o sugava me deixava louca, Amanda segurava na parede enquanto eu me deliciava naquela boceta maravilhosa, sentia o sabor do seu néctar invadir minha boca e ouvia aqueles gemidos discretos, quando mais sentia o sabor daquela mulher maravilhosa mais queria sentir...

-Anita você está ai?
Ouvi uma voz feminina me chamar ao lado de fora da cabine.

- PQP! Logo agora! Pensei com raiva.

Olhei para Amanda que estava com parte do seu rosto coberto pelos cabelos, em seguida respondi:

- Já estou saindo, só vou terminar de falar com minha irmã!
(- Beijos Bruna, quando chegar em casa te ligo.) fingi que estava falando com minha irmã.

Arrumei meu vestido e meus cabelo, dei mais um beijo em Amanda que me olhava extasiada. Sussurrei em seu ouvido:

-Depois te ligo gostosa para terminarmos.

Ela se escondeu atrás da porta e eu sai.

- Minha irmã me ligou não teve como não atender!
Falei para Julia esposa de um dos sócios.

-Ah claro Anita eu entendo.

Retoquei minha maquiagem enquanto Amanda esperava que nos saíssemos para ela também poder sair.

Voltamos para mesa e depois vi Amando saindo com um sorriso nos lábios. Passei o resto do jantar olhando para Amanda e ela para mim, ninguém percebeu porque o assunto de negócios era mais importante que qualquer coisa que estivesse acontecendo ao redor.

Beijinhos

Anita G.                                         



Nenhum comentário:

Postar um comentário