terça-feira, 11 de março de 2014

Tempestade

Guarda-chuva virado, salto quebrado,
Tudo pra destruir o dia.
Quero chegar em casa, quero um banho quente.
"Maravilha"... a rua está sem luz.
Apresso o passo. Odeio isso.
Passando pela construção de um bendito galpão,
um movimento me chama a atenção.
Um vulto... encostado na parede.
Queria sair correndo,
mas... não sei por que, parei para olhar.
Cheguei mais perto, e vc não se mexeu.
Continuou ali, encostado na parede, apoiado numa perna,
camisa molhada (que corpo é esse meu Deus?!),
mãos no bolso da calça, em silêncio.
"Está tudo bem?"
Nada...
Paro em sua frente e insisto
"Você não é daqui, é?"
Seus olhos cravaram nos meus.
O sangue sumiu do meu rosto... nossa!
Parecia me despir com o olhar.
"P-posso te ajudar?"
"Talvez..." (Oh! Ele fala!)
"O que vc quer?"
"Achei que não fosse perguntar."
E um segundo se passa, enquanto você me agarra pelos pulsos,
e em meio giro minhas costas estão contra a parede fria,
e seu corpo quente pressionando o meu.
Não consigo ver seu rosto, pois sua boca está colada em minha orelha
"Quero você. Estamos com frio... Posso resolver isso."
Enquanto fala, sobe minha saia com uma das mãos, enquanto a outra percorre meu corpo.
Meu Deus... Eu devia parar. Mas permito que você erga minha perna, me encaixando perfeitamente ao seu calor.
Devia gritar por socorro, mas tudo q faço é pressionar meu corpo contra você, ansiando que cumpra a promessa.
E você cumpre... com força.
Enquanto com uma mão você eleva minha perna e me guia de encontro a você, a outra se prende aos meus cabelos, puxando minha boca para um beijo urgente.
Na pressão dos movimentos sinto me perder em juízo,
em vontade... em urgência.
Não posso mais suportar.
Finco minhas unhas em suas costas, e me entrego sem pudores ao gozo que me consome.
Sinto você enrijecer, e gemer comigo... sinto seu prazer ao ver o meu.
Por um segundo pensei q alguém pudesse nos ouvir.
Mas os trovões lá fora foram a minha resposta.
Encosto minha cabeça no seu ombro
"Acho que não estamos mais com frio.."
Sinto seu sorriso encostado em mim e a resposta me acende
"Resolvido UM dos problemas. Mas eu diria que ainda está chovendo, e com certeza eu ainda quero você."
...Continuamos nossa tempestade particular
naquele banho quente que eu ansiava antes da tormenta começar.






Por Deby,da Página Perigosamente Quente

Beijos,Cris.

Nenhum comentário:

Postar um comentário