sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Epítome de uma Distância


Não pares!
Perde-Te no momento, mesmo quando o administras… e ministras. Não paralises. Não Te detenhas no feitiço dos suspiros que Ela desenha no ar. Corta-lhe o ar. Mão na sua garganta. Espreme! Trata de obstruir essa traqueia. Aperta. Não penses. Pausa. Inspira. Continua. Não pares! A venda agita-se. Os olhos dEla mexem-se mesmo sem conseguirem ver. Aprecia-o. Aprecia-A. Estima-A. Fotografa com os Teus olhos o instante em que Ela abre os lábios. Agora mexe-te! Desce a mão. Afasta-lhe as coxas. Invade-A. Clama-A. Quando comprimir as coxas como uma ostra, emprega o ensejo como algo proveitoso. É cooperação. Investe os dedos. Tecla-lhe gemidos. Contempla como se contorce. Silencia-A… com a boca. Numa colisão trapalhona de dentes. Ri, mas garante que o riso expira nesse beijo. Olhos bem despertos. Os dEla esvaecidos. Ela agarra-se à tua boca como se fosse a última coisa do seu mundo… o derradeiro elo tangível. És um deus para Ela. O destino dEla pertence-Te. Pequena Morte? Grande Morte? Corta-lhe novamente o ar. Afunda-lhe o polegar na traqueia. Atenta no seu rosto. Espera... Espera... Espera... Agora liberta-A. Ela engasga-se. Beija-A. Que o ar lhe ateste os pulmões. O teu Ar. Ela tosse por um breve instante. Afasta-te um pouco. Mas não lhe deixes tomar fôlego. Atira-A para o chão. Para o teu chão. Ela tropeça. A forma como o seu ombro bate no chão sacode-te um pouco, mas tens noção que Ela prezará a equimose. Ela não pensa em dor neste momento. Ela não pensa em todas as formas que empregaste para lhe contundir… para lhe deixar o fardo de deliciosos brasões que terá de carregar. Ela não pensa. Tu não pensas. Agora não há lugar para hesitações. Nem reflexões. Perde a tua mão num punhado dos seus cabelos. Sente o emaranhado em cada nó dos teus dedos. Puxa-a e hospeda os teus lábios no seu ouvido…

«Quero rasgar a Tua carne e fazer do Teu âmago o meu Lar. Quero foder-Te até perder a visão e ficar em pé de igualdade com essa venda. Quero fazer dos Teus suspiros a candeia que alumiará o meu Caminho até Casa.»

Sentirás as palavras voando através dos dentes e por uma fração de tempo, não te reconhecerás.

Não pares!


Texto originalmente escrito pelo poeta Eros. Convido todos a conhecer Suspiros de Libido,e se encantar,se maravilhar,se apaixonar,e desfrutar das obras desse grande escritor.

Beijos,Cris.
Leia Mais ››

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

O Amigo do papai (Final)


Finalmente o domingo chegou. Eu quase não havia dormido na noite anterior. Eu só conseguia pensar no que aconteceu naquela manhã. Foi difícil disfarçar a ansiedade.  Por sorte, a casa estava cheia com tios e primos. Minha tia Sara me levou um lindo biquíni de presente,vermelho com detalhes dourados. 
A parte de baixo era minúscula, e a parte de cima modelo cortininha ficava certinho sob meus seios. Apesar dos protestos de papai, mamãe o convenceu a me deixar usá-lo afinal,estávamos em família.
Fomos todos para a piscina, e logo, Marcelo chegou com a família. Percebi com satisfação seu olhar discretamente percorrendo meu corpo. Ele mal me encarava,quase não falou comigo, muito menos fez as habituais brincadeiras. Vez ou outra nossos olhares se cruzavam nas brincadeiras dentro da água.
Até que vi quando papai pediu pra ele pegar carvão na dispensa. Discretamente eu fui até lá, e ele não demonstrou surpresa nenhuma ao me ver ali.
-Eu sabia que você viria.
-Porque você tá fugindo de mim?
-Menina... aquilo foi loucura.
-Vai dizer que você não gostou, e que não ficou pensando.
Falei isso enquanto me aproximava dele.
-Você sabe que me deixou perturbado, mas não podemos seguir com isso, é loucura eu sou casado, amigo do seu pai, e você ainda é uma menina.
Me aproximei o máximo possivel,encostando nossos corpos, e disse sussurando,olhando em seus olhos e boca:
-Ok, acho que voce tem mesmo razão. Levar isso adiante vai ser loucura, já que só de me imaginar com você meu corpo queima.
Falei isso, e me virei de costas como quem vai sair de perto mas encostei meu bumbum no corpo dele.
-Imagina só Marcelo, a loucura que seria nós dois juntos.
Ele subitamente me empurrou pra dentro do banheirinho que tinha na dispensa,fechou a porta e me pressionou na parede me beijando com vontade, enquanto suas mãos percorriam meu corpo, começou a passar a língua pelos meus mamilos, e sugar delicadamente, colocou a mão por dentro do biquíni, notando que eu já estava molhada.
Brincou um pouco com meu clitóris, e colocou um dedo em mim, me fazendo gemer.
- Sua safadinha! Eu sei muito bem o que você quer.
Ele abriu a bermuda, e eu me ajoelhei na frente dele. A sunga preta ocultava um membro grande e grosso. passei minha língua por toda a extensão, ainda por cima do tecido, e ele gemeu.
Impaciente, ele abaixpu a sunga, e eu vi aquele penis rigido saltar ma minha frente.
-Chupa sua vadiazinha.
Coloquei o que consegui daquele pênis na minha boca, e chupei com vontade.
Foi quando ouvimos batidas na porta, e a voz de papai dizendo que Lúcia precisava falar com Marcelo. Ele praguejou baixinho, me beijou e disse que estaria a minha espera naquela mesma noite na casa dele, ja que sua esposa iria dormir na casa da mãe.
A noite estava fresca,eu coloquei um vestido branco curto e soltinho. Saí de casa usando apenas ele, dizendo que iria ao cinema com as amigas.
Entrei na chacara dele pelos fundos, pra não ser vista por ninguém, e o vi me esperando na varanda. Usava regatta preta, e shorts branco.
Eu entrei, e ele ja foi logo me agarrando. Pulei no colo dele,e encaixei minhas pernas na cintura, vendo a cara de safado que ele fez quando percebeu que eu estava sem calcinha. Sua ereção foi imediata,e ele começou a me beijar com volúpia.
-Olha o que vc faz comigo menina ta sentindo? Ele está duro assim por você. Tô louco pra comer você!
Me levou para um quarto que não era o dele me colocou na cama, tirou meu vestido, e a roupa dele, e se deitou sobre mim. Nos beijamos muito esfregando nossos corpos, ele foi descendo pelo meu corpo,me beijando, me chupando, até que chegou no meu clitóris. Alternava entre lambidas e sugadas, enquanto colocava um dedo dentro de mim.
-Goza pra mim sua danadinha. Quero ver você gozar na minha boca.
Eu nunca havia sido chupada daquela maneira, e não conseguia conter os gemidos. gozei intensamente,e ele só tirou a boca quando os espasmos do meu corpo se acalmaram.
Ele me beijou e se deitou a o meu lado, me colocando por cima dele.
Encaixei seu pênis em mim, e fui deslizando devagar. Ele segurou nos meus seios, e disse:
-Vai sua putinha, quero ver você cavalgando gostoso safada!
Prontamente obedeci, e logo ele gozou. Transamos até o começo da madrugada, e continuamos até eu começar a namorar quase um ano depois.
Ele continuou frequentando a minha casa, e ninguém nunca soube de nada. 
Ele era apenas o amigo do papai.

Cris.
Leia Mais ››

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

O Amigo do papai

Eu tinha 17 anos quando Marcelo se mudou pro condomínio onde morávamos. Logo, ele e meu pai se tornaram amigos, e ele passou a frequentar a nossa casa junto com sua esposa Lucia,e sua filha de 4 anos.
Marcelo tinha 35 anos, era branco, queimado de sol, cabelos castanhos, sempre despenteados, usava uma barba cerrada que destacava ainda mais seus lábios grossos, e tinha lindos olhos negros. Meu desejo por ele foi imediato, pena que não foi correspondido. Ele se dirigia a mim com muito respeito,e não demonstrava nenhum interesse.
Conquistar o Marcelo então,se tornou um desafio pra mim. E eu adorava esse tipo de desafio.
Eu sempre tive corpão,as pessoas sempre pensavam que eu tinha mais idade por isso, e apesar da pouca idade, eu ja era bem danadinha. Descobri minha sexualidade bem cedo. Primeiro sozinha, depois tive alguns amassos com namoradinhos, e com 16 perdi a virgindade. Desde que percebi que eu era capaz de conquistar homens mais velhos, esse se tornou meu hobby. Principalmente se eles fossem casados. Esse "detalhe" me dava muito tesão. Eu adorava ver aquele olhar de desejo,perceber aquele tesão disfarçado. Adorava me insinuar, provocar, me divertia fazendo isso. Apesar do jogo de conquista,fui pra cama apenas com um deles. Mas, com o Marcelo eu queria. Queria tudo. Precisava transar com aquele homem.
Recebi uma ajuda e tanto do destino quando acordei num sábado de manhã, e não tinha ninguém em casa, pois meus pais haviam ido até o centro da cidade resolver algumas coisas.
Como tinha acabado a e levantar, eu usava apenas um baby doll branco de seda, com detalhes em rosa, que ficava um pouco transparente no corpo.
A campainha tocou e eu fui atender pensando ser uma tia que estava pra chegar, então nem troquei a roupa e fui abrir a porta. E me deparei com Marcelo usando regatta branca, e jeans surrado.ele estava natural e incrivelmente sexy.
-Oi menina. (Era assim que ele carinhosamente me chamava) seu pai me pediu pra dar um jeito na pia da cozinha.
Dessa vez, notei que ele me olhou da cabeça aos pés, mas logo retomou seu jeito habitual.
Deixei ele entrar, e o segui. Ele se ajeitou ali, mexeu em algumas coisas, sempre conversando coisas triviais. Até que ele me pediu pra pegar algo que eu não imaginava onde estava. Peguei uma cadeira e subi pra procurar nos armários; me virei derrepente e o flagrei olhando o meu bumbum dentro do minúsculo shorts transparente. Era totalmente notável que eu não usava calcinha. Ele desviou o olhar, e se aproximou, afinal, ele era bem alto, e pôde ver se era aquilo que precisava. E naquele momento, pela primeira vez, os nossos olhares se encontraram.
Ele retornou ao que estava fazendo porém, agora mais calado.
Ele começou a mexer na torneira da pia, e me pediu pra pegar uma ferramenta e levar pra ele. Eu entreguei, e ele me pediu pra ficar ali perto, segurando uma fita que ele usaria em seguida. Foi então que o cano estourou, e esguichou água por toda a cozinha, inclusive em nós
Rapidamente ele fechou o registro, e eu comecei a praguejar, porque eu estava toda molhada,e por causa da bagunça. Olhei pra ele, e vi que ele olhava diretamente para os meus seios. Notei que meus mamilos estavam enrijecidos marcando sob o tecido agora transparente. Ele se aproximou, me olhou nos olhos, e me perguntou se eu estava com frio. Eu disse que não sabia. Rs. Ele me pediu pra ajudar a tirar a regatta molhada, o que fiz enquanto admirava aquele peitoral definido.
-Eu acho melhor você tirar essa roupa menina.

Disse isso, enquanto passava um dedo sob a alça da camisetinha que eu usava. E então, eu vi o brilho no olhar dele. Aquele brilho. Marcelo me puxou para ele,e me deu um beijo molhado e intenso,enquanto uma mão me segurava pela nuca,a outra foi diretamente pra um dos meus seios. A química foi imediata! Ele me segurava forte,e pressionava o corpo dele contra o meu,me fazendo sentir que já estava excitado.
Ouvi o barulho do carro dos meus pais,e me soltei dos braços dele. Ele me olhava sério,estava ofegante,visivelmente perturbado. Eu dei um sorriso safado pra ele,e subi correndo pro meu quarto.
Eu sentia uma leve ardência no meu rosto,por causa da barba por fazer,e um fogo devastador tomava conta do meu corpo. O que foi aquilo? Que pegada foi aquela? Eu queria mais. Me lembrei que meu pai havia marcado um churrasco pro domingo com nossa família,e claro,o Marcelo estaria presente. Estava na hora de partir pro ataque.


Cris.
Leia Mais ››

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Quebrando a rotina


Quando decidi me casar, todos me alertaram de que nem tudo seriam rosas. De que uma hora ou outra,meu casamento cairia na rotina. Eu estava disposta a fazer diferente e provar pra todos que o casamento poderia sim, ser divertido. Estava disposta a inovar sempre,e manter a chama do desejo acesa entre nós.
Os primeiros anos foram os melhores da minha vida. Porém,depois de 7 anos, me vejo mergulhada na rotina. Quando nosso filho nasceu,abri mão da vida profissional,e hoje,aos 26 anos,vivo para lavar,passar,cozinhar,e cuidar de casa,filho e marido.
O tão sonhado casamento perfeito,tornou-se uma rotina massante.Hoje em dia já não somos mais os mesmos amantes de tempos atrás,e ele diz que a culpa de tudo isso é minha.Confesso que,o passar dos anos e a experiência da maternidade me trouxe alguns quilos a mais. mas,se tem uma coisa que eu nunca perdi,é o desejo. Ah,esse ainda arde em mim,com toda sua intensidade.
Meu marido já não me enxerga mais há um tempo. Nossa vida sexual,praticamente não existe mais,e quando se faz presente é de má qualidade. Ele faz questão de deixar claro que faz por obrigação. Sempre me diz que não sou mais a mesma na cama.Apesar de tudo,sempre permaneci fiel ao meu esposo.
As vezes me pergunto,será que sou assim,tão desinteressante? Eu percebo os olhares que os homens dirigem a mim nas ruas. Mesmo com  minhas formas arredondadas. Acho que só ele não me enxerga.
Naquela manhã de primavera,acordei,fiz café,ele saiu de casa sem ao menos me dar um beijo (isso já era rotina),Coloquei meu filho na na van da escolinha,e fui comprar algumas frutas e legumes na feira.
Escolhendo as frutas,percebi que era observada. Ergui meus olhos,e estes deram de frente com um belo par de olhos verdes.Era Diego. Diego era filho do dono da barraca.30 anos,moreno,alto,corpo definido,devido ao esforço diário,e um sorriso capaz de me desestabilizar.Sempre foi brincalhão,nunca escondeu o seu interesse em mim,e vivia me dizendo que eu estava perdendo tempo ao lado do meu marido.Eu sempre levava com bom humor,e confesso que fazia um bem enorme ao meu ego,ser galanteada por aquele homem maravilhoso. Confesso também,que,de um tempo pra cá,Diego vem habitando meus sonhos e fantasias mais íntimas. Ah se ele soubesse o que já fizemos em meus pensamentos e sonhos. rsrs...
Ao terminar de fazer as compras, como ja era de costume,Diego se ofereceu para me ajudar a levar para casa. Eu aceitei de pronto,já que as sacolas estavam mesmo pesadas.
Ao chegar em casa,ele me pediu um copo de água.Me virei,e ergui o corpo pra pegar um copo no armário, o que fez meu vestido subir um pouco,mostrando mais do que devia. Foi quando senti as mãos dele na minha cintura. Me virei,assustada,eu realmente não esperava.
-Diego,o que você esta fazendo?
-Ah,minha morena (ele sempre me chamou assim,e eu sempre adorei) eu não consigo mais resistir,estou louco por você.
-Eu não posso!Sou casada,isso é uma loucura,imagina só se ele cheg...
Antes que eu pudesse terminar a frase,ele me beijou com vontade,transmitindo todo o desejo que estava sentindo. Me olhou nos olhos,com os dele agora ainda mais verdes,e colou seu corpo no meu. Eu senti um volume entre minhas pernas.
-Olha só como você me deixa morena.
Eu não conseguia mais resistir,não queria mais. Sem pensar em mais nada,decidi me entregar.Sorri pra ele,em sinal de aprovação.Ao meu sinal verde,Diego me beijou novamente,com mais vontade,e senti suas mãos por baixo do meu vestido,apertando minha bunda,enquanto beijava meu pescoço,e sussurrava o quanto me desejava,o quanto eu era gostosa.
Tirou a regata,e também o meu vestido,desfez meu rabo de cavalo, e eu o arrastei pra sala. Eu mal podia acreditar no que estava acontecendo ali.Eu somente de calcinha,e aquele homem sentado no meu sofá masturbando aquele pênis grande e grosso,enquanto me dizia besteiras com a expressão mais safada.
Me sentei sobre ele,e comecei a beijá-lo,enquanto ele me acariciava e me apertava,eu rebolava sentindo aquele membro duro na minha calcinha molhada,enquanto ele beijava e chupava meus seios.
Colocou minha calcinha de lado,eu me ajeitei,e sentei sobre ele,sentindo aquele pau duro me invadindo.O gemido dele me fez estremecer.Cavalguei com vontade me deliciando,incentivada por suas palavras obscenas.Eu não conseguia conter os gemidos,e logo gozei. Meu corpo caiu sobre o dele,que me segurou forte pela cintura,e fez o movimento rápido,forte,até que explodiu num gozo intenso.
Foi uma transa rápida e deliciosa. Depois que ele foi embora,me surpreendi ao notar que eu não me sentia culpada,pelo contrário,eu me sentia muito bem.
Recuperei minha auto estima,voltei a me cuidar,e me sentir sexy novamente,me desfiz daquele casamento que não me acrescentava em nada,e hoje sou dona da minha vida. o Diego? Ainda transamos ocasionalmente,e fica mais gostoso a cada dia que passa. rsrs


Cris.

Leia Mais ››

domingo, 27 de julho de 2014

Apenas um sonho

Aquele não era o melhor momento que eu e Amanda estávamos passando,havíamos nos distanciado eu era casada e ela tinha um relacionamento serio com outra garota,para ambas o que havia acontecido durante aquelas semanas em que nos encontramos escondidas havia acabado.

Eu em particular estava morrendo de saudades de Amanda mas...Mas não sabia se ela compartilhava do mesmo sentimento,não queria procura-la,pois não queria prejudica-la em seu relacionamento.

Todos os dias pensava nela,em seus beijos doces e envolvente,em suas caricias,seu cheiro.Não havia um só dia que não pensava em deixar uma mensagem para ela.Os meus dias longe de Amanda estava me torturando,queria toca-la,me embriagar em seu perfume,me perder naquelas curvas.

__Anita?!

Abro meus olhos e vejo Amanda sentada ao meu lado da cama,sinto seu dedo deslizar pelas minhas costas,seus lábios tocando meu pescoço delicadamente enquanto seu corpo caí sobre o meu me envolvendo em seus braços.

Por algum momento foi como se o tempo tivesse parado e ficamos envolvidas naquele abraço...naquele momento só consegui dizer:

__Amanda,estava morrendo de saudades!

Em seguida nossos lábios se encontraram senti o gosto doce de sua boca,tive a sensação do primeiro beijo que demos,meu corpo se encontrava em chamas,as mãos de Amanda passeava pelo meu corpo,tirando minha camisola,eu ajudei Amanda se livrar das roupas subi sobre seu corpo beijando sua boca descendo meus lábios pelo seu pescoço parando em seus seios,mordicava um de seus mamilos enquanto minha mão massageava e vice versa,meus lábios continuava a descer pelo seu corpo até chegar em sua...em sua joia,passei minha mão delicadamente sobre ela em seguida coloquei meus lábios chupando cada centímetro de sua boceta,mordiscava seu clitóris,enquanto Amanda gemia e pedia para que chupasse mais e mais,coloquei um de meus dedos dentro de sua boceta enquanto brincava com seu clitóris mordiscando e chupando,Amanda segurava na lateral da cama,enquanto gemia e se contorcia,o som do seu prazer era extremamente excitante,meu lábios estava em festa naquela gruta deliciosa,sentia o gosto do seu mel,podia sentir seu prazer em minha boca,nos movimentos de seu corpo e ouvia de seus lábios o som de seu prazer.

Uma frase que Amanda disse varias vezes era a seguinte:

__Queria que esse momento durasse para sempre!

Agora eu digo a mesma coisa,como queria que durasse para sempre e que não fosse apenas um sonho,pois naquela noite havia sonhado com Amanda e foi um dos melhores sonhos que tive,uma pena que foi apenas um sonho.

Anita
Leia Mais ››

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Doce Amanda

Meus dias estavam corridos,mal tinha tempo de encontrar com minhas amigas para colocar a conversa em dia.

Saia cedo de casa e voltava muito tarde devido ao dia cheio,trabalho,curso entre outros inúmeros compromissos,definitivamente meus dias não estavam sendo suficiente para cumprir com a minha agenda lotada.

Precisava de um tempo para mim,sair,conversar com minhas amigas,ou até mesmo ir ao encontro prometido para aquela garota que eu havia conhecido no curso,o feriado prolongado se aproximava e eu tentei deixar tudo o mais organizado possível na empresa,sem nenhuma pendencia para poder curtir meu feriado sem nenhuma preocupação.

Na véspera do feriado já estava mega animada,não sabia o que eu faria primeiro,bom no fundo eu sabia o que eu iria fazer,ia convidar aquela garota linda para sair ou assistir um filme em minha casa,ao anoitecer peguei o celular e liguei para ela.

Ela atendeu o telefone com aquela voz meiga,deliciosa de se ouvir.

Conversamos um longo tempo e perguntei o que ela faria no sábado a noite,ela me disse que não iria fazer nada,convidei ela para vir na minha casa e ela aceitou.

Não estava acreditando que finalmente iria me encontrar com Amanda,que iriamos poder conversar e eu poderia admirar mais sua beleza.

No dia marcado me arrumei coloquei um vestidinho vermelho,com um sapato salto alto fino,cabelos soltos levemente cacheados nas pontas,fiquei aguardando ela chegar para em minha casa.

Passou algum tempo e a campainha tocou,respirei fundo e abri a porta,admirei ela por alguns segundos,podendo observar cada curva daquele corpo vestido apenas com uma mini saia preta e uma camisa branca,abracei ela passando minhas mãos pela sua cintura em seguida dando um beijo em seu rosto,peguei em sua mão puxando ela para dentro do apartamento,ela sorriu iluminando aquela noite com seu sorriso perfeito.

Servi uma taça de vinho para Amanda enquanto tagarelava,ela delicadamente segurava a taça e sentando-se no sofá cruzou as pernas e ficou a me ouvir,depois de um bom tempo Amando levantou-se do sofá pedindo para tomar um ar na varando e fomos até a varando onde podíamos ter uma vista linda,eu já não falava muito e prestava mais atenção em seus traços enquanto falava,quando ela sorria com os olhos,sua boca carnuda com um batom vermelho destacando sua pele branquinha.

Amanda já estava mais solta,agindo naturalmente o que não deixava de ser sexy,pois seu corpo estava com postura,seu caminhar perfeito naquele salto.

Depois de muito conversarmos,Amanda segurou minha mão me levando para dentro do apartamento,me abraçou forte em seguida me beijou ardentemente,senti sua língua adentrar minha boca,seu beijo me deixou completamente excitada,passei minhas mãos em volta de sua cintura aproximando mais seu corpo do meu,enquanto nossos lábios permaneciam naquele beijo provocante.

  Puxei Amanda pelos braços levando-a até o quarto,Amanda olhou para a janela do meu quarto e
abriu as cortinas deixando uma brisa entrar pelo quarto,caminhou até mim abrindo os 3 botões que faltavam em sua camisa tirando-a do seu corpo,pude ver seus seios fartos naquele soutien branco,e seu corpo escultural,aproximei dela e a beijei descendo minha boca pelo seu pescoço,abri seu soutien deixando seus seios a mostra,fiquei olhando aqueles seios maravilhosos e delicadamente chupei cada um deles mordiscando-os de leve,continuei descendo minha boca até chegar em sua cintura,abri o zíper de sua saia deixando-a cair no chão e para minha surpresa Amanda não estava usando calcinha,vi sua xaninha totalmente depilada na minha frente e não pude resistir,passei minha língua entre os lábios de sua xaninha mordiscando seu clitóris,ouvia Amanda gemer enquanto eu me deliciava com aquela xaninha deliciosa,minha língua adentrava sua boceta e voltada a chupar seu clitóris,meus dedos à invadiam  enquanto mordiscava seu clitóris,podia sentir sua respiração ofegante.
  Amanda deixou seu corpo cair sobre a cama em seguida começamos um delicioso 69,sentia sua língua
percorre toda a minha xaninha brincando com meu clitóris,ela me chupava bem gostoso e eu fazia o mesmo nela com a mesma intensidade,era uma delicia sentir aquela boca,sua língua me percorrer e poder sentir o seu prazer ao mesmo tempo que sinto prazer,nossos corpos se contorciam,nossos prazeres em nossas bocas,nossos corpos sobre a cama e um olhar doce vindo da linda Amanda.
A noite estava apenas começando...E foi tudo maravilhoso!

Beijinhos

Anita
Leia Mais ››

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Dante (Final)

Nos sete dias seguintes, não tive  notícias dele. Eu me senti extremamente ofendida,nunca havia sido "descartada"  daquela forma,e o pior de tudo: Eu sentia meu desejo por ele aumentando,movido pela memória do nosso último encontro.
Era sexta-feira,e eu estava saindo da academia,preparada para iniciar minha habitual corrida,quando dou de cara com ele.
Sexy como sempre,exercendo o mesmo poder sobre mim como sempre,exalando desejo puro como sempre.
-Oi Cris.
-Oi! eu disse friamente.
-Desculpe não ter dado noticias,precisei viajar a trabalho.
-Poderia ter me ligado pra avisar. Você certamente sabe meu número de Telefone. Me arrependi na hora de ter dito isso. O que eu estava fazendo?
Ele se aproximou de mim,com seus negros olhos de predador,e acariciou meu rosto.
-Eu não tive tempo morena,me desculpe.
Vi seu olhar suavizar,e senti a doçura daquele toque. Pelo jeito havia um homem sensível por trás do "Deus do sexo."
Enquanto acariciava meu rosto,ele me olhou por alguns instantes,e logo retomou seu jeito distante.
-Agora vamos.
-Como assim,vamos? Vamos pra onde?
-Tenho um coquetel de negócios hoje,e quero que você me acompanhe.
-Não! Não é assim que as coisas funcionam Dante.
Demonstrando impaciência,ele segurou no meu braço,e começou a me guiar até o carro.
-Vamos,quero exibir você por aí.
 Decidida tentei contestar.
-Você poderia ter me avisado antes. Eu não separei nenhuma roupa,nem sei se tenho algo legal para usar. Eu teria me preparado. Você nem sabe se eu tenho algum compromisso hoje.
-Sei que você não tem.
Tentei falar novamente,mas ele me interrompeu.
- Já estamos chegando Cris.
Suspirei,e recebi um olhar fulminante,que me fez arrepiar.
Chegando na minha casa,ele ordenou:
-Desça!
Aquele jeito autoritário me irritava profundamente,eu não estava acostumada a receber ordens.
Ele tirou uma caixa grande e pesada de dentro do carro,e me mandou abrir a porta.
Ele deixou a caixa em cima da mesa,e disse:
-Use isto. Volto em 1 hora.
Me deu um beijo rápido,e saiu.
Conformada fui ver o que havia na caixa,e me surpreendi com um vestido azul escuro, de tamanho midi decotado na frente e atrás,uma sandália de salto preta,e um belo par de brincos,acompanhados da pulseira. Havia também uma pequena calcinha branca.
Dante tocou a campainha exatamente 1 hora depois. Ele estava usando terno e sapatos pretos,com uma gravata da mesma cor riscada de cinza. Prendi a respiração. Ele estava elegantemente sexy.
-Você está linda!
Era como se o vestido tivesse sido feito sob medida. Fiz um penteado básico,e uma leve maquiagem,realçando olhos e bocas,troquei meu esmalte rosinha,por um vermelho vivo,e usei as jóias.  Gostei muito do resultado quando me vi pronta no espelho.
O ambiente era agradável,com um ótimo buffet, pessoas cultas,e simpáticas. Dante era muito conhecido entre eles,e eu fui apresentada a muitas pessoas. Permaneci ao lado dele o tempo todo. Admirando a segurança com que ele falava. Cerca de 1 hora e meia depois que chegamos,em determinado momento,ele sorriu para mim,e disse no meu ouvido:
-Estou louco para tirar esse seu vestido,e ver como ficou a calcinha que eu escolhi.
Sorri e sussurrei para ele:
-Então você vai ficar na vontade,porque eu não usando calcinha.
Olhei para ele com um sorriso safado,e vi seus olhos ficarem ainda mais escuros,e um brilho selvagem passar por eles.
Ele pegou as taças e deixou com o primeiro garçom que encontrou,me pegou pelo braço,e me levou para a área externa,onde não tinha ninguém. Ao sairmos,ele me pressionou de frente pra parede,levantou meu vestido,e confirmou o que eu disse. Me virou de frente pra ele,e me beijou com voracidade,segurando no meu cabelo. Eu senti seu pênis ereto.
-Como você é safada Cris. Eu não gosto de ser contrariado.
Fiquei excitada pela forma que ele me pegou. E sorri.
-Vamos embora daqui. Ele disse,me empurrando pelas costas.
Ele foi me acariciando durante todo o trajeto,até que chegamos em um prédio próximo. Notei que ele conhecia,e era conhecido por ali. Havia algumas pessoas no elevador. Entramos no apartamento,e ele logo tirou meu vestido,me deixando apenas com as jóias e salto. Ele me beijava de um jeito que me deixava extremamente excitada,suas mãos percorriam meu corpo,e ele logo percebeu minha excitação.
Abri o zíper da calça,e peguei aquele membro rígido na minha mão. Apertei de levinho,vendo o tesão no seu rosto. Ele estava duro como pedra e quente. E eu o queria todo dentro de mim.
-Eu preciso de você Dante.
Ele me empurrou pra um sofá,e me colocou de quatro.
Enquanto colocava um preservativo,ele disse:
-Eu vou foder você assim Cris. vou foder você agora.
Foi entrando com facilidade em mim,devido a minha excitação. Meu corpo estava em febre,e eu o sentia quase todo dentro de mim. Ele começou a fazer um leve movimento de vai e vem,entrando agora por inteiro,gemi de prazer,e senti suas mãos apertarem minha bunda.
Ele acelerou os movimentos,e seus gemidos se misturavam aos meus. Era tudo tão natural,que eu deixei que meu corpo assumisse os instintos mais primitivos,não pensei mais em nada a não ser em foder com aquele homem.
Senti meu corpo estremecer,e ao sentir que meu orgasmo estava próximo,ele diminuiu o ritmo.
-Ah Dante,por favor!
-Ainda não Cris.
Ele me virou de frente,e recomeçou a penetração mais intensa,mais forte,mais rápida. Eu sentia o clímax próximo.
-Ah Dante!!
-Você quer gozar Cris? Porque você não goza?
-Eu não,não consigo. Não até você mandar.
Era como se meu corpo precisasse da ordem dele. Ele sorriu,triunfante e me olhando nos olhos,ordenou:
-Goza pra mim Cris. Agora!
E então,tive um dos meus melhores orgasmos sob o olhar daquele homem ainda vestido. Antes que eu pudesse me recuperar,ouvi seus gemidos,e senti suas mãos me apertarem,enquanto seu corpo estremecia.
Dante me ensinou muita coisa. Tivemos meses de atividade sexual intensa. Ele me apresentou um mundo safado e sexy,transavamos sem pudor a qualquer hora,em qualquer lugar. Conheci,e me encantei pelo mundo dele.
Conhecê-lo foi uma experiência única,a qual eu levarei sempre comigo.

Esta série de contos é dedicada ao homem que me inspirou: Dante.
Dante,escrever é um prazer. Escrever inspirada em você é um prazer ainda maior.

Cris.

Leia Mais ››

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Dante (Terceira Parte)

Ao sentir aquela boca na minha,fui tomada por uma vontade quase incontrolável. Dante tinha lábios macios,e um beijo suave,porém com a quantidade de agressividade suficiente para me deixar com tesão.
Minhas mãos passeavam pelo seu cabelo,e eu sentia sua ereção. Hábil,ele tirou minha camiseta,me ergueu,e me jogou no sofa e se inclinou sobre mim,e voltou a me beijar,se encaixando entre minhas pernas.
Abocanhou meu seio,e levou a mão no meio das minhas pernas que se abriram sem pudor.
-Ah! você está molhadinha pra mim Cris.
Meu corpo estava todo excitado,não poderia ser diferente. Seu sorriso era o de alguém perverso,e deliciado,e me fez perder o fôlego.
Sua boca cobriu a minha,e ele deslizou um dedo dentro de mim,me fazendo suspirar. Então,ele tirou um dedo,e voltou com dois,me fazendo gemer. Ele tinha mãos habilidosas e experientes. Sussurrava obscenidades ao meu ouvido,me enlouquecendo.
-Vou dizer tudo o que quero que você faça para me dar prazer Cris,e você vai fazer tudinho. Se me obedecer,vamos ter sexo explosivo e selvagem,sem restrições. Já está sentindo como as coisas vão ser entre nós?
Seus dedos provocavam ondas de prazer dentro de mim,e eu era incapaz de articular uma palavra.
Ele começou a esfregar meu clitóris com o dedão,enquanto enfiava os dedos em mim sem pressa.
-Goza pra mim Cris. Ele ordenou. -Agora!
Como se meu corpo tivesse reconhecido seu comando,cheguei ao orgasmo gemendo,agarrando as bordas do sofá.
Ele me disse qualquer coisa,e deslizou a boca descendo pelo meu corpo,até chegar onde estava com os dedos. Olhei pra ele,e vi um brilho nos olhos de triunfo masculino. Naquele momento,ele tinha total poder sobre mim,eu faria tudo o que ele quisesse,e ele sabia disso.
Ele tirou os dedos de mim,e passou a língua pelo meu clitóris
-Dante não,eu não aguento!
-Shh... quietinha Cris.
Ele percorreu tudo,sugando meu clitóris,colocando a língua em mim de vez em quando,e então começou a me chupar suavemente,incansavelmente. E eu senti meus músculos enrijecerem,e uma onda de prazer invadindo meu corpo,e tive um orgasmo ainda mais violento,gritando de prazer.
Eu estava toda amolecida,quando ele beijou minha barriga,r lambeu meus mamilos. Ele sorriu pra mim,e foi beber algo.
Eu permaneci no sofá. Imóvel,mergulhada naquela sensação,assustada,e com vergonha de ter me entregado daquela forma pra alguém que eu nem conhecia.
Ele voltou da cozinha,e eu notei um volume considerável sob a calça.
Me estendeu a mão e me pôs em pé.
Ele me beijou com uma violência controlada,ferindo meu lábios,denunciando seu estado de excitação extrema. Senti suas mãos me agarrando,me apertando. Senti o tesão possuir meu corpo novamente.
Levei minha mão até aquele volume,e ele gemeu. Me sentei,e abri o zíper da calça,abaixando junto com a cueca,vendo aquele membro duro saltar na minha frente.
Abocanhei,e senti seu gosto,deslizei minha boca,engolindo tudo o que podia,comecei a chupar suavemente,sentindo toda a extensão,cada veia,ouvindo seus gemidos que tinham o poder de causar em mim uma vontade enorme de satisfaze-lo.
Ele segurou no meu cabelo,e começou a ordenar o ritmo. Me senti uma verdadeira puta naquela situação. Eu nua,chupando um desconhecido ainda vestido na minha sala. E me sentir assim me causava um prazer extremo.
Me deliciei naquele pênis,procurando acompanhar seu ritmo. Ele acelerou os movimentos,e sem aviso prévio,gozou na minha boca,enquanto gemia,e segurava forte meu cabelo.
Não tirei a boca dali enquanto não o deixei limpinho.
Ele se ajeitou,me beijou,sorriu e disse:
-Até breve Cris.


Este conto é dedicado ao homem que me inspirou: Dante.

Cris.

Leia Mais ››

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Dante (Segunda parte)


Como assim entre no carro? nós nem nos conhecemos.
-Você vai ter que confiar em mim.
-Não,eu não posso.
Ele se aproximou,segurou no meu braço,me olhou nos olhos,e disse com voz firme:
-Vamos! Entre no carro.
Meu subconsciente me recriminava,meus sentidos em alerta,más havia algo naqueles olhos me fez ceder. A mão nas minhas costas,me guiando para o carro me fez arrepiar.
Durante o curto trajeto que fizemos,eu pensava na loucura que eu estava fazendo. Ele não respondia as minhas perguntas,apenas me pedia pra ter calma,que conversaríamos depois. O cheiro que ele emanava estava me deixando atordoada.
Então me lembrei de um compromisso inadiável. Acompanhar a Ester,minha grande amiga na sua prova de vestido de noiva. Eu não podia deixar de ir.
Disse a ele que tinha um compromisso,e vi seu rosto se contorcer numa expressão de contrariedade.
-Não adianta fugir Cris.
O que ele quis dizer com isso?
-Eu não estou fugindo. Eu não posso faltar a esse compromisso.
-Esta bem,te levo para casa.
-Como você sabe meu nome?
-Eu sei um pouco mais.
-Como?
-Sei que você esta louca por mim.
Fiquei vermelha na hora. Como eu pude deixar transparecer dessa forma?
-Assim como eu estou por você.
Senti um calor no meio das minhas pernas,ao ouvir aquela confirmação.
Ele estacionou em frente a minha casa,e apesar de ser perto,eu me dei conta de que não havia dado orientação nenhuma.
-Você sabe onde eu moro?! Foi mais uma exclamação do que uma pergunta.
Eu estava perplexa. Quem era aquele homem afinal?
Ele me olhou nos olhos,e perguntou:
-Cris, você está saindo com alguém?
-Não...
-Eu quero você Cris.
-Eu quero você na minha cama.
Vi no seu olhar as mesmas coisas que havia visto da primeira vez,uma energia absurda,e um controle absoluto sobre mim.
-Quem você acha que é?
Desci do carro,e entrei em casa,sem olhar para trás. Meu coração disparado,a cabeça rodando,e um desejo intenso tomando conta do meu corpo.
Eu nunca me senti tão ofendida,e nunca desejei tanto alguém. Como ele me perturbava!
Espantei aquele homem da minha cabeça,e fui me arrumar.
Depois da prova do vestido,tomamos algo,e fui para casa,eu não estava a fim de sair naquele dia.
Dante não me saía da cabeça,tomei um banho,coloquei apenas a minha velha camiseta de dormir,e pedi algo para comer,e continuei pensando naquele homem,e na capacidade incrível que ele tinha de me deixar excitada. Mal o conheci havia apenas 1 dia,e ja me sentia tão... dele!
Perdida nos meus pensamentos,não vi os minutos se passarem,e me assustei com o barulho da campainha. Olhei para mim. A camiseta não era tão curta pra que o entregador percebesse que eu estava sem calcinha,a menos que eu levantasse os braços então...sorri ao imaginar a cena,e fui abrir a porta.
Senti meu coração acelerar,e minhas pernas ficarem fracas. Com meu pedido na mão,Dante estava parado na soleira da minha porta,vestido de preto,incrivelmente sexy,com seus olhos de predador sobre mim.
-Boa noite Cris,não vai me deixar entrar?
Eu estava sem reação,apenas dei um passo pra trás,e ele passou por mim,exalando aquele cheiro (manipulado a base de feromônios,só pode!)
-O que você está fazendo aqui?
-Entregando seu pedido. Ele estendeu os pacotes para mim,e eu fui colocar na mesa da cozinha. Era óbvio que ele não era o entregador. Mas que audácia.
Derrepente,senti seu corpo colando-se ao meu,sua boca no meu pescoço,e as mãos sob os meus mamilos endurecidos. Recorri ao meu restinho de forças,e consegui dizer:
-O que você pensa que esta fazendo?
Então ele me virou. A intensidade do seu olhar era avassaladora,seus olhos reluziam,num tom ainda mais escuro. Senti sua boca na minha,e naquele momento,fui incapaz de continuar resistindo.

Este conto é dedicado ao homem que me inspirou: Dante.

Cris.

Leia Mais ››

sexta-feira, 28 de março de 2014

Dante (Primeira parte)





Havia sido um dia de trabalho exaustivo,mas finalmente chegou as 17:00 e eu estava prestes a ir pra casa. Saí do elevador,e meu celular começou a tocar em algum lugar na bagunça da minha bolsa.  Empenhada na função de encontrá-lo,não prestei atenção a minha frente,e esbarrei com alguém na saída do prédio.Olhei para ele,para pedir desculpas,porém me faltaram palavras quando meus olhos encontraram os seus. Fiquei presa neles,sem conseguir desviar,enquanto sentia meu estômago contrair. Ele tinha olhos negros,e um olhar intenso,e profundo,com algum tipo de magnetismo,capaz de me fazer sentir algo gostoso,como se fosse...desejo!
Vi seus olhos percorrendo meu corpo,e obtive a confirmação. Como eu era capaz de sentir desejo por alguém que estava me olhando ha menos de 5 minutos? Tentei recobrar a sanidade,sorri desconcertada e pedi desculpas,ele disse - Tudo bem. com um semi sorriso incrivelmente sexy. Desviei o olhar,e saí andando. Ao passar por ele,senti um delicioso e quase irresistível perfume,que tive que lutar contra meus sentidos para seguir andando. Cheguei em casa,e encontrei minha habitual bagunça,tomei um banho,peguei o notebook,é fui checar os e-mails. Mas,o olhar daquele homem não me saía da cabeça. Nunca,ninguém havia me olhado daquela forma,era como se eu estivesse nua. Me senti incrivelmente atraída,apenas pelo olhar,e por aquele perfume quase irresistível...
Fui pra academia,e suei durante 1 hora e meia,mas,mesmo assim,resolvi voltar correndo pra casa. Durante a corrida,meu fone caiu do ouvido,e ao pegar,acabou fazendo um nó,olhei para baixo,e dei de frente com alguém. O impacto quase me jogou no chão,mas ele me pegou pela cintura. Surpresa,notei aqueles olhos negros em mim. Seus olhar era penetrante,meu coração começou a bater mais forte,e meus lábios se abriram parcialmente com o poder da aceleração. Ele exalava um cheiro inebriante assim como aqueles olhos tão intensos,e tão próximos,senti suas mãos segurando forte minha cintura, ele exibia um braço tatuado,e exalava aquele perfume. Tudo isso me deixou com uma vontade louca de beijar aquela boca. Ele me ajeitou,e me soltou,novamente seus olhos percorreram meu corpo,me fazendo arrepiar.
-Você deveria olhar por onde anda morena.
Vermelha de vergonha,e queimando pela aproximação,eu respondi:
-Me desculpe,eu me atrapalhei com o fone.
Ele sorriu,e eu quase perdi o equilíbrio.
Eu tinha que sair dali,antes que seguisse o instinto de pular no pescoço dele.
Sorri para ele,e comecei a caminhar,passei por ele,e senti seu cheiro.
Ele não me saía da cabeça. Alguns minutos com o Senhor desconhecido,e eu ja me sentia dominada por um impulso impaciente,e inquietante. Eu não conseguia entender como um contato tão breve,pôde me deixar abalada daquela forma. No banho,eu só pensava naquele olhar,naquele cheiro,naquela boca... me olhei no espelho,e reconheci aquela cara. Eu fazia aquela cara quando queria ir pra cama com alguém. "Ah legal,agora sinto vontade de ir pra cama com desconhecidos."
Meu dia foi corrido,mal tive tempo de almoçar,e também não tive tempo de pensar no senhor desconhecido. Finalmente chegou as 17:00 era sexta-feira, e eu estava pensando no que fazer no final de semana,quando vi um luxuoso carro parado,o homem encostado nele usava sapatos pretos,calça jeans escuras,e uma camiseta branca, com as pernas cruzadas,e mãos no bolso.eu nem precisei chegar perto para sentir seu perfume. La estava o senhor desconhecido com aqueles olhos em mim.
Era como se houvesse algum tipo de "corda" que me atraía para ele. Instintivamente,fui até onde ele estava.
-Como vai Cris?
-Bem,obrigada...
-Dante. ele completou.
O nome combinava perfeitamente com ele.
-Como sabe meu nome? Não,eu não estava com o crachá.
Com um sorriso ele disse:
-Estava passando por aqui,e resolvi esperar,para você esbarrar em mim novamente.
Vermelha,eu apenas sorri.
-Entre no carro Cris.
-O que?


Este conto é dedicado ao homem que me inspirou: Dante.

Cris.
Leia Mais ››

quinta-feira, 20 de março de 2014

terça-feira, 18 de março de 2014

Sem mais

Vem sem medo...
Que hoje quero você assim, do jeito que está.
Não quero explicações, contradições, nem desculpas.
Discutir Relação? Sem chance!!!
Quero que chegue "chegando", forçando, prendendo.
Quero sentir sua confusão se perdendo em minha boca.
Quero suas mãos me percorrendo com a urgência perfeita.



Dispenso qualquer palavra que não seja incoerente
e sussurrada em meus ouvidos.
Dispenso os "testes".
Quero a ação completa e vou adorar arcar com as consequências.
Quero extrapolar seus limites.
Quero amor e ódio se fundindo nesse desejo
maluco que só a gente pode satisfazer.




Por Deby  da página Perigosamente Quente.

Cris.

Leia Mais ››

sexta-feira, 14 de março de 2014

Rotina de casal


Quando acordei,ele já havia saído de casa.
A noite anterior foi muito tumultuada,e o cansaço nos consumiu antes que fizéssemos amor.
Talvez,por esse motivo,eu estava com o corpo em chamas. Rolei na cama,e senti o cheiro dele. Resolvi tomar um banho de chuveiro,pra ver se conseguia acalmar o desejo que estava me consumindo.
A água morna escorrendo pelo meu cabelo,e descendo pelo meu corpo,me fazia imaginar as mãos dele. A fragrância suave do sabonete mexia com a minha imaginação. (Mas até o sabonete? Eu estava mesmo num dia daqueles!)
Saí nua do banheiro,e fui colocar um shorts. Eu não o encontrava,então me abaixei pra ver se estava na parte de baixo do guarda roupas.
Quando de subito,eu sinto aquelas mãos fortes me agarrando pela cintura,e pressionando o corpo contra o meu.
Nem tive tempo de expressar o susto que levei,ele me puxou pelo cabelo,e sussurrou no meu ouvido:
-Ah gostosa! Assim eu não resisto. Esqueci de pegar uns papéis,não tenho muito tempo. Mas te ver assim empinadinha pra mim...
Ele me desferiu um sonoro tapa,e eu senti o membro duro sob o jeans da calça.
Ele me virou,e,quando olhou em meus olhos,sorriu maliciosamente,porque obteve a confirmação que queria: Eu queria! E como queria!
Não havia tempo!
Me abaixei,abri o zíper da calça,semi abaixei a calça e a cueca,e abocanhei aquele pênis rígido.
Senti aquele sabor característico que eu adorava,e chupei com a vontade de quem não o fazia há meses!
Ele gemia,o quadril ritmado,as mãos segurando minha cabeça.
Me virou novamente,e eu me apoiei na cama;de uma só vez,entrou em mim,me fazendo gemer de prazer.
Começou a penetrar forte,segurando minha cintura. A sincronia era perfeita. Me puxou pelos cabelos,e anunciou o gozo. Como se meu corpo tivesse entendido o recado,senti o êxtase,exatamente ao mesmo tempo que ele.
Ele saiu de mim,rapidamente se limpou,me deu um beijo apaixonado,e prometeu que era apenas uma prévia da noite que estava por vir.
Despediu-se com um "Eu te amo safada".
Quando acordei,já era quase tarde. Eu estava tranquila,e relaxada... Fui cuidar da casa,e me preparar para receber meu marido quando chegasse do trabalho.

Cris.
Leia Mais ››

terça-feira, 11 de março de 2014

Tempestade

Guarda-chuva virado, salto quebrado,
Tudo pra destruir o dia.
Quero chegar em casa, quero um banho quente.
"Maravilha"... a rua está sem luz.
Apresso o passo. Odeio isso.
Passando pela construção de um bendito galpão,
um movimento me chama a atenção.
Um vulto... encostado na parede.
Queria sair correndo,
mas... não sei por que, parei para olhar.
Cheguei mais perto, e vc não se mexeu.
Continuou ali, encostado na parede, apoiado numa perna,
camisa molhada (que corpo é esse meu Deus?!),
mãos no bolso da calça, em silêncio.
"Está tudo bem?"
Nada...
Paro em sua frente e insisto
"Você não é daqui, é?"
Seus olhos cravaram nos meus.
O sangue sumiu do meu rosto... nossa!
Parecia me despir com o olhar.
"P-posso te ajudar?"
"Talvez..." (Oh! Ele fala!)
"O que vc quer?"
"Achei que não fosse perguntar."
E um segundo se passa, enquanto você me agarra pelos pulsos,
e em meio giro minhas costas estão contra a parede fria,
e seu corpo quente pressionando o meu.
Não consigo ver seu rosto, pois sua boca está colada em minha orelha
"Quero você. Estamos com frio... Posso resolver isso."
Enquanto fala, sobe minha saia com uma das mãos, enquanto a outra percorre meu corpo.
Meu Deus... Eu devia parar. Mas permito que você erga minha perna, me encaixando perfeitamente ao seu calor.
Devia gritar por socorro, mas tudo q faço é pressionar meu corpo contra você, ansiando que cumpra a promessa.
E você cumpre... com força.
Enquanto com uma mão você eleva minha perna e me guia de encontro a você, a outra se prende aos meus cabelos, puxando minha boca para um beijo urgente.
Na pressão dos movimentos sinto me perder em juízo,
em vontade... em urgência.
Não posso mais suportar.
Finco minhas unhas em suas costas, e me entrego sem pudores ao gozo que me consome.
Sinto você enrijecer, e gemer comigo... sinto seu prazer ao ver o meu.
Por um segundo pensei q alguém pudesse nos ouvir.
Mas os trovões lá fora foram a minha resposta.
Encosto minha cabeça no seu ombro
"Acho que não estamos mais com frio.."
Sinto seu sorriso encostado em mim e a resposta me acende
"Resolvido UM dos problemas. Mas eu diria que ainda está chovendo, e com certeza eu ainda quero você."
...Continuamos nossa tempestade particular
naquele banho quente que eu ansiava antes da tormenta começar.






Por Deby,da Página Perigosamente Quente

Beijos,Cris.
Leia Mais ››

segunda-feira, 3 de março de 2014

Atração


Quero Você. Agora!
Com o celular na mão,ele se sentia tentado a atender o pedido daquela mensagem. Mas,ele não podia.Não devia. Ele já havia decidido pôr um ponto final naquela história.
Ricardo Sempre foi um homem bonito,charmoso,do tipo atlético,nunca teve problemas com as mulheres,sempre teve quem desejou aos seus pés,desfazendo-se delas,quando se sentia satisfeito.
Mas,com ela,era diferente. Ele não conseguia entender porque se sentia tão ligado aquela mulher. Chegou a propôr um relacionamento sério.
Ele,que jamais se imaginou assumindo compromisso com alguém,a viu recusar seus três pedidos. O que ela tinha que o fascinava tanto? Será aqueles cabelos pretos,e compridos,será os olhos esverdeados,e misteriosos? Será o corpo escultural? 
Lembrou-se da primeira vez que a viu...ela estava dançando na pista.e era como se a boate inteira tivesse parado pra ver aquela Deusa dançar. Derrepente,os olhos dela,se fixaram nos dele,e,pela primeira vez,ele se viu desarmado,sem saber o que fazer.
O simples fato de caminhar,a tornava graciosa,o vento balança seus cabelos,e vestido,tornando a cena espetacular.
Quando ele entrou no apartamento a encontrou sentada em uma grande poltrona de couro. Um drink em uma das mãos. Notou aquele olhar felino,era como se ele pudesse ver as chispas nos olhos dela. Nas pernas cruzadas,meias arrastão,e salto agulha nos pés. Essas eram as únicas peças que ela usava. Havia também,um colar de pérolas entre os seios médios.
Droga! ele havia sido fraco outra vez, Como sempre,ela sabia que ele iria. Sentiu um ímpeto de ir embora,mas,a atração que ele sentia era maior que tudo que ele já havia sentido em toda a vida.
Se aproximou dela,ajoelhou-se e olhou em seus olhos,ela sorriu,e assim,derrubou qualquer barreira ainda poderia haver. Começou a acariciar aquelas pernas macias,sentindo o tecido da meia,deslizando as mãos pelas coxas,ela passou um dos pés no meio das pernas dele,fazendo seu membro latejar.
Ele se levantou,e sob o olhar faminto dela,despiu-se. Ela sorriu,levantou-se e se aproximou dele. Passou as mãos nos seus cabelos,e o beijou. Aquele beijo tinha o dom de fazer com que ele se esquecesse do resto do mundo.Ela passou a lingua pela orelha,pelo pescoço,e,arranhou de leve as costas.
Desceu com a boca beijando cada parte do seu corpo,marcando com o batom vermelho. Ajoelhou-se e,olhando-o nos olhos, colocou aquele pênis na boca,roçando a língua na cabecinha que já estava molhada.
Passando a língua devagar,avançando aos poucos,lambendo da base até a cabeça,sentindo a extensão..até que colocou ele inteiro na minha boca,tudo o que conseguia, daquele membro excitado.Começou a sugá-lo.
Enquanto estava com ele dentro, mexia a língua um pouco de um lado para o outro, para cima e para baixo, delicadamente, roçando-a com a pele esticada, sentindo as veias pulsando com tanto sangue que ia com o fluxo de tesão dele para o pênis. Com estes movimentos, ele começou a respirar mais forte, dar discretos gemidos.Continuou  chupando.Tirou da boca, e começou a masturbar e olhar para cima, para o seu rosto louco de tesão.
 Entre uma batida e um olhar safado, ela chupava. Batia e chupava. O quadril dele começou a acompanhar o ritmo e quando ele sentiu que ia gozar,ela parou.
Colocou´se de quatro na poltrona,e olhou para ele,um olhar mais que convidativo.
ele se aproximou-se,e passou a língua naquela região molhada. ela suspirou,e ele passou a língua novamente.  Ela gemeu e disse: Agora!
Ele se posicionou,e devagar,foi entrando naquele corpo quente,que o acolhia perfeitamente,como se ele fizesse parte dela.
Movimentou-se lentamente,ele queria aproveitar ao máximo aquele momento sublime que era estar com aquela mulher. Ela começou a rebolar no pênis dele,e jogar o corpo pra trás.
Ele acelerou o ritmo,e segurou-a pelo cabelo,penetrando-a com sofreguidão. Ela Gemia,e seus movimentos acompanhavam o dele.  A sincronia era perfeita,e ele desejava fazer aquilo pra sempre,todos os dias. Continuou assim,até que sentiu o corpo dela estremecer,e se sentiu explodir dentro dela. Juntos atingiram o ápice mais uma vez.
Mais uma vez,foi perfeito. maravilhoso.
Retirou-se dela,e a viu se levantar,beija-lo na boca,e dizer que ia tomar um banho.
Esperou que ela saísse,e foi a sua vez. Quando saiu,ela não estava. Encontrou um bilhete,que dizia: Obrigada meu bem. Sentiu-se frustrado.
Vestiu-se e saiu,jurando nunca mais atender um pedido dela.
Quando ganhou a rua,ele,secretamente desejava ver outra mensagem na tela do celular.


Cris
Leia Mais ››

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Renata



Geralmente,eu não sinto desejo por mulheres. Não por elas. Gosto de tê-las na cama,junto com meu marido. Mas,não sou de desejá-las individualmente
Porém,naquele dia,meu corpo pedia por ela. Renata. Minha amiga e confidente,novinha,linda,e gostosa.
Navegando nas redes sociais,comecei a olhar as fotos postadas. Impossível não olhar aquela boca,e lembrar do beijo gostoso,olhar aquele decote,e não me lembrar daqueles seios grandes,de bicos rosados,ver aquele mini saia de pontas,deixando as coxas grossas de fora,e não me lembrar dela tirando a roupa...
Meu corpo queimava de lembrar da nossa última noite no motel; nós três,loucos de tesão...foi delicioso. Se pelo menos ele estivesse em casa,eu poderia amenizar meu tesão com ele,mas,não seria o suficiente. Eu queria aquele prazer que só uma mulher pode proporcionar,que só ela pode proporcionar.
Acredito que quando desejamos muito algo,o universo conspira em nosso favor. Recebi uma notificação de mensagem no celular,e fui ver,pensando ser do meu marido. Satisfatória surpresa eu tive em ver o nome dela.
-Oi Gata,ta fznd oq?
-Oi amor,eu nada,e vc?
-Nada tbm,rs..o maridão volta quando?
-Só amanhã a noite. =( Já tô carente aqui,rsrs
-Tô com um vinho ótimo aqui,que tal?
-Adorei a idéia!! ;)
-Então fechô! Vou tomar um banho,e jajá tô aí. Bjs.
-Bjs Linda.
Eu não estava acreditando! Sim,ela tinha o hábito de ir em casa,mas,justo naquele dia? Era sorte demais. Apesar de querer muito,eu não sabia se conseguiria tomar a iniciativa,sempre fui muito tímida. Mas,eu não poderia perder a oportunidade.
Tomei um banho,e coloquei um vestido básico,curtinho e sexy,sem sutiã,e uma calcinha branca,pequenina;cabelos soltos,e sandália rasteira no pé.
Ouvi o barulho do carro,e fui até a porta. Ela estava linda,usando um vestido soltinho branco,com um decote de dar inveja em qualquer uma. Nos abraçamos,e senti aquele perfume,que,instantaneamente me fez lembrar dela em cima de mim,me beijando. Procurei disfarçar,e a convidei para entrar.
Conversamos bastante,e bebemos toda a garrafa de vinho que ela levou;então,abrimos uma garrafa de Ciroc que eu tinha em casa. O relógio marcava 19:00 horas,e apesar dos petiscos,pedimos algo para comer. Começamos a falar sobre o atual ficante dela.
Nossa comida chegou,e eu fui pegar. Quando voltei,vi que ela me olhava de forma diferente,com malícia. Adorei aquilo!
Comemos,e o nosso assunto foi esquentando,falamos sobre o "desempenho" dele na cama,e ela disse que estava satisfeita apesar de sentir falta de um carinho feminino de vez em quando.sem pensar,soltei: Quando você precisar,é só chamar. Eu estou aqui.
Ela sorriu,se aproximou de mim,e disse: eu quero agora!



Ela tem mais pegada que muito homem. Me pegou pela nuca,e me deu um beijo quente. Eu retribuí,e comecei a alisar o corpo dela. Ela beijou meu pescoço,e começou a acariciar meu seio por cima do vestido.
Olhei nos olhos dela,peguei a garrafa,e fomos pro quarto. Assim que entramos,tiramos nosso vestidos,e fomos pra cama. Ela por cima,me beijando,e esfregando aqueles peitões nos meus. Colocou uma perna entre as minhas,e começou a roçar o joelho na minha bucetinha molhada. 
Beijou,e sugou meus seios,tirou minha calcinha,e começou a me lamber devagar. Eu gemia,e me contorcia,pedindo mais. Ela colocou dois dedos dentro de mim,e girou,me fazendo endoidar. Ela me chupou mais,agora de forma intensa,como se quisesse sugar meu gozo. Eu não aguentei,e gozei na boca dela,enquanto gemia de prazer.




Ela me limpou todinha,e veio me beijar,enquanto me dizia o quanto eu sou gostosa.
Beijei muito aquela boca gostosa,e aqueles seios enormes,e a coloquei de 4. Eu adorava vê-la naquela posição,com aquela bunda empinada,com cara de safada. Me ajoelhei atrás dela,e passei minha lingua em volta daquele anelzinho apertadinho,e deixei tudo bem molhado,coloquei um dedo,enquanto a safada gemia e rebolava no meu dedo.
Sem tirar o dedo,deitei-a de barriga pra cima,e comecei a chupar aquela bucetinha gostosa. Ah,aquele gosto incomparável,ela segurava meu cabelo,e jogava o corpo contra minha boca.Que delicia de mulher,que bucetinha gostosa que ela tinha,chupei muito,com vontade,até que senti seu corpo estremecer,e ela anunciou o gozo. Ela ficou mais úmida,e eu diria que até mais doce.




Sorvi todo aquele néctar,e me deitei do lado dela.
Ficamos alguns segundos nos refazendo,e absorvendo tudo aquilo que tinha acabado de acontecer.
Dei um beijo naquela boca,e a convidei pra um banho.
Passamos a noite toda juntas,bebendo,e rindo,falando das pessoas,bem no estilo "Clube da Luluzinha",a diferença é que transamos mais algumas vezes. No outro dia ela foi embora,e quando meu marido chegou,me fez relatar tudo o que fizemos,com riqueza de detalhes. e me faz repetir sempre. rsrs

Cris.
Leia Mais ››

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Férias inesquecíveis





Aquela espera estava me matando. A lembrança do nosso último encontro me atormentava,me excitava.
O tempo estava ameno,uma brisa suave,admirar o mar,algo que sempre me acalmou,estava me deixando mais agitada ainda.
Não conseguia me esquecer daquelas palavras: Eu quero você morena. Mas que demora.... Sei que cheguei com antecedência no hotel,mas,o tempo parece ter parado desde então.
Que férias maravilhosas! Aquele era nosso último encontro antes de eu retornar á minha cidade,e retomar minha vida regrada.
Finalmente,um barulho na porta,e ele entra. Lindo! com seu jeito despojado,usando bermuda,camiseta,e sapatênis.
Me olhou com um sorriso safado,e eu me joguei nos braços dele. Ele correspondeu ao meu beijo,sorriu e disse: Calma gata,temos a noite toda. Vamos beber algo?
Conversamos um bom tempo,sobre diversos assuntos,e bebemos bastante. Eu consegui relaxar,e controlar o tesão que eu estava sentindo.Mas,ele ainda estava ali. Presente no meu corpo todo.
O assunto acabou,e ele ficou me olhando com aqueles maravilhosos olhos azuis. Passei meus dedos nos seus cabelos dourados,ele tinha traços fortes,olhos expressivos,penetrantes,uma deliciosa boca vermelha,e carnuda,que estava com a cor realçada devido ao vinho. Passei a mão naquela barba por fazer,e meu corpo se arrepiou por inteiro.
Num tom malicioso,perguntei: Quer falar sobre mais alguma coisa? Ele sorriu,veio bem pertinho,e disse: Agora eu quero você gostosa! Me puxou pro colo dele,e me beijou gostoso,me apertando tirou meu vestido,e acariciou meus seios que estavam livres de sutiã naquele dia. Devagar,deslizou a boca até eles,me arranhando com a barba,e começou a lamber,bem devagar,toda a auréola ao redor do mamilo,e chupou,depois colocou o maximo que pôde na boca,do jeito que eu gosto.Eu gemia e rebolava no pau duro sob o tecido.



Me empurrou pra cama,e comentou que minha calcinha vermelha estava toda molhada. passou o dedo naquela região enquanto falava isso. Pegou meu pé esquerdo,e começou a beijá-lo suavemente,passando a língua pelos meus dedos,e sugando um a um,aquilo era uma tortura deliciosa. Ele foi subindo pela minha perna,beijando,e me arrepiando com aquela barba (ah,aquela barba...)
Puxou minha calcinha com os dentes,e jogou no chão.
Sem demora,ele se aproximou,e passou sua lingua de leve na minha buceta molhada. Eu quase gozei com aquele lambida. Me chupou devagar,e deliciosamente,sugando meu clitóris,colocando um dedo,ora na buceta,ora no cuzinho. Não demorou muito,e eu gozei gemendo e rebolando naquela boca gostosa.
Ele me beijou,e me mandou tirar a sua roupa. Claro que eu obedeci rapidamente.Tirei a camisa,e acariciei aquele tórax definido,e lisinho. abaixei a bermuda,e a boxer branca marcava,um pau extremamente duro. Não resisti,e passei a língua por cima do tecido mesmo,ele suspirou,mas,me puxou pelo cabelo,dizendo que não havia me mandado começar ainda. Fiz uma carinha de decepção,e abaixei a cueca,vendo aquele pau grande e grosso saltar na minha frente. Tive que me controlar pra não agarrar e colocar na boca.
Levantei,e fiquei olhando nos olhos dele. Naquele momento me davam a impressão de estar um tom mais escuro. Ele acariciou levemente meu rosto,e segurou firme meu cabelo na nuca. Me olhou e disse: de joelhos!
Obedeci. Ele pegou minha cabeça com as duas mãos,e colocou aquele membro na minha boca. Segurou meu cabelo num rabo de cavalo,e me deixou lamber de cima a baixo,deixando ele bem babado. Então,ele colocou novamente na minha boca,e começou a foder minha boca,segurando no meu cabelo,e gemendo alto. Eu,muito excitada,tentava me concentrar para seguir o ritmo dele e dar muito prazer. Aqueles gemidos,e o jeito quase rude,estavam me enlouquecendo!
Ele anunciou o gozo,e eu me empenhei naus ainda. Porém,de súbito ele parou e me mandou ficar de 4. Dei um gritinho,e bati palmas de alegria,igual criança,fazendo-o rir. Adoro essa posição,ainda mais com ele.
Assim que me posicionei,levei um sonoro tapa,seguido de um: safada! que me deixou mais louca ainda. Ele colocou só a cabecinha,e eu comecei a rebolar,jogando o corpo pra trás,bem devagarinho. Quando ele estava todo dentro de mim,veio até minha orelha,e começou a sussurrar obscenidades. Disse que ia me comer feito puta,do jeito que eu merecia. Eu,fora de mim,pedia: Então fode! mete na sua puta!



O que se sucedeu após isso,foi uma série de estocadas fortes,com direito a gritos e sussurros,tapas e puxões de cabelo. Gozei novamente enquanto ele metia forte,logo em seguida,ele gemeu alto,e eu senti seus jatos quentes dentro de mim.










Quando acordei,a luz do sol invadia o quarto. Notei com uma ponta de decepção que ele não estava lá,e fui tomar um banho. Durante o banho eu já me programava para retornar nas próximas férias. Eu me perguntava se o veria de novo,e secretamente,desejava que sim.
Saí,e me deparei com um café da manhã maravilhoso na mesa,e com ele na cama já pronto pra recomeçar a nossa brincadeira...

Cris.


Leia Mais ››

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Feliz Aniversário Cris!


Olá queridos(as)... andei sumida,mas hoje como é uma data muito especial resolvi aparecer,pois preciso dizer algumas palavras para uma pessoa mais que querida.

Hoje é o seu dia querida Cris,venho através desse post lhe desejar muitas felicidade,paz,amor,esperança,tudo de bom que a vida possa lhe proporcionar.Pois você é uma pessoa muito especial,encantadora,por onde passa deixa um pouco de você,não tem como não sentir sua falta,pois você com esse seu jeito doce,amorosa conquista todo mundo que se aproxima de você e comigo não foi diferente,confesso que me apaixonei por você,pela pessoa que você é desde os primeiros dias que começamos a ter contato,você é quem eu confio,quem muitas vezes me atura em minhas crises malucas,nos momentos que estou confusa(confesso não sou muito fácil de lidar),mas você sempre compreensiva e disposta a me ouvir,quem sempre me deu carinho.

Então linda não tenho muito o que falar além de você ser muito especial em minha vida,lhe desejo tudo de bom.Parabéns pelo seu aniversário,que você possa realizar todos os seus sonhos,desejos,fantasias.


Felicidades 
Feito você, não conheço mais ninguém. 
Engraçada, linda, uma pessoa que sempre faz o bem. 
Longa vida para você desejo também. 
Imortal você deveria ser, para sempre eu poder te abraçar. 
Zoeira e diversão na sua festa não podem faltar. 
Ainda tenho muito a falar, meus parabéns tenho que te desejar. 
Não pense que isso está bom para este dia,mereces o céu e o mar. 
Importante é dizer que desejo te paz, saúde e alguém para amar. 
Você brilha como uma estrela, e nada este brilho poderá apagar. 
Espero que realize os desejos, e os objetivos não deixe de conquistar. 
Riqueza desejo-te também, mas o maior tesouro é o amor que podes doar. 
Sucesso! Este combina com você,que esteja sempre a te acompanhar. 
A vida hoje te felicita e fica feliz por você existir, você é o presente! 
Rosas hoje não te mandei,mas esta singela homenagem inventei. 
 Impaciente estou para lhe abraçar,e mostrar alegria por esta ocasião. O dia hoje é seu. Felicidades! Para sempre estará em meu coração!  
(desconhecido)

Minha querida Cris você sabe o quanto eu gosto de você,o carinho que tenho por ti,então linda independente da distancia,independente de qualquer coisa,quero que sinta meu abraço forte e meus parabéns soarem em seu ouvido,pois tenha certeza que hoje estarei muito próxima de ti,estarei com você no meu pensamento e desejando estar ao seu lado.

Parabéns linda,te adoro muitão <3



Beijinhos

Anita




Leia Mais ››

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Menage feminino

Olá queridos! Como estão? Eu já estava cheia de saudades de vocês.
Volto,falando de uma prática d-e-l-i-c-i-o-s-a:

O Menage feminino






Fantasia de 90% dos homens,e 70% das mulheres,consiste em um um casal,dividir a cama ( e os corpos) com uma mulher.
Nessa brincadeira o homem tem a oportunidade de estar com outra mulher (que não seja a sua) e a mulher tem a oportunidade de fazer aquilo que ela (secretamente) sempre quis: "Experimentar" alguém do mesmo sexo.
A cumplicidade,e intimidade do casal,só aumenta,e a tendência é querer mais,e mais.
Não há nada mais gostoso que se entregar,sem receios,ao desejo,e deixar o tesão fluir...

Separei algumas imagens gostosas pra vocês se deliciarem. Espero que gostem ;)






























Beijinhus* Cris.











Leia Mais ››

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

O Encontro-Final






(Escrito por Cris)

Tirou a camisa e me olhando nos olhos, se posicionou entre minhas pernas. Sorriu, e de uma só vez, passou a língua pela minha buceta, chegando ao clitóris. Eu quase gozei nessa primeira carícia.

Seu ritmo era devagar, ele me chupava, me lambia, de forma intensa. Eu gemia alto, e me contorcia, passando as mãos pelos seus cabelos, arranhando, e segurando o lençol.

(Escrito por Dante)

O sabor de seu sexo em minha boca me enlouquecia, abrindo-a levava minha língua até o fundo, chupava-a com muito tesão fazendo-a contorcer, sugava todo àquele néctar deixando seu sexo todo em minha boca.

(Escrito por Cris)

Sem tirar a boca, ele colocou um dedo dentro de mim, e começou a fazer movimentos de vai-e-vem.

Continue lendo...
Leia Mais ››