quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Desejos proibidos

Meu corpo queima de desejo,o sonho que eu tive na noite anterior mexe com minha cabeça e fantasias,me sinto incomodada,como pude sonhar com outro homem se sou casada?

A culpa e o desejo toma conta do meu ser o dia inteiro,meu corpo chama por ele(um amigo,mais que um amigo,meu cúmplice...).

Ao anoitecer meu marido sai para o trabalho,fico sozinha em casa a vontade de pegar o telefone e ligar para o meu amigo é grande,pego o telefone disco o numero do celular dele,mas desligo antes de chamar,tento manter minha cabeça ocupada,entro na net para distrair,estou em uma rede social quando vejo ele online,abro o bate-papo varias e varias vezes e fecho sem dizer nada,meu corpo continua em chamas quando ele me chama no bate-papo dizendo:

__Oi amor!

Meu coração vai parar na boca,demoro um pouco para responder e logo respondo,como sempre.

__Oi amore!

Então continuamos a conversar até que eu conto o sonho que eu havia tido com ele,contei detalhes.Ele já não me respondia,fiquei pensando que ele não havia gostado pelo fato de estar namorando.

Passou-se alguns minutos e o meu celular toca,era ele,atendi e ele logo veio dizendo estou na esquina da sua casa,preciso te ver,venha ao meu encontro.Fiquei calada por alguns segundos e logo disse:Tudo bem,estou indo.

Tomei um banho rápido coloquei um vestidinho e uma sapatilha e fui ao encontro do "meu amigo",assim que eu entro no carro ele me dá um beijo na boca,sentir aqueles lábios tocarem o meu,sua língua adentrar minha boca,depois de tanto tempo sem sentir aqueles lábios,senti um frio na barriga,meu corpo inteiro se arrepia e o desejo toma conta do meu ser,o beijo foi longo,sentia seu gosto,o que eu sentia não era mais saudades e sim tesão,desejo,um fogo tomando conta do meu ser.


Saímos dali e fomos ao motel,chegando lá nossos corpos grudados,boca na boca e mãos passeando pelos nossos corpos,eu cada vez mais excitada,descia pelo seu pescoço,minha boca beijava cada parte do seu corpo,chegando próximo ao seu membro que estava pronto á saltar para fora de sua calça,abri o zíper e baixei sua calça deixando-o só de cueca,seu membro duro pedia para ser libertado e chupado com toda vontade,assim fiz retirei sua cueca e ajoelhando-me no chão coloquei meus lábios na cabeça de seu membro,em seguida dei pequenas lambidas,desci minha língua até a base e coloquei suas bolas em minha boca,depois subi até a cabeça colocando seu membro todo em minha boca,chupando inicialmente devagar,depois mais rápido e assim fiz suscetivamente até ele preencher minha boca com seu gozo quente.

Ele então segurou minhas mãos e me ajudou a levantar,dizendo:

__Nossa amor,cada vez que nos vemos você está melhor,rsrs.

Eu apenas respondi:

__Esses carinhos tem que ser bem feito,rsrs.



Ele me guiou até a cama tirando meu vestido,me deixando completamente nua,sentei na beira da cama,ele se colocou entre minhas pernas,me deu um beijo saliente e logo foi descendo pelo pescoço até chegar em meus seios,mordiscava,beijava cada um deles,me deixando louca de tesão,desceu pela minha barriga até chegar em minha virilha,ele deu leves beijinhos em minha xaninha,mordiscou meu clítoris em seguida começou a chupar passando sua língua por toda minha xaninha,mordiscava meu clítoris me deixando louca,sentia ele me invadir com sua língua,passeava por toda minha xaninha,sentia tesão,prazer em ter aquela boca mordiscando meu clítoris,fazendo com que eu tivesse um orgasmo maravilho,meu corpo caiu sobre a cama,se contorcendo de tanto prazer que meu amigo me proporcionava.

Em seguida me coloquei de quatro e disse:

__Sou toda sua meu amore!


Ele se aproximou encostando seu pau na minha xaninha passou ele por toda ela,me provocando,colocava na entradinha e tirava,até que eu não aguentei e pedi para que me penetrasse,ele foi colocando seu pau devagar em minha xaninha,sentia cada centímetro me preencher,ele logo começou o movimento de vai e vem,de inicio de vagar,depois mais rápido sentia seu pau entrar rapidamente me dando prazer,me fazendo pedir cada vez mais e mais,meus gemidos era cada vez mais intenso,sentia seu pau vibrar dentro de mim,um liquido quente me invadia,enquanto eu dava um gemido e prazer e gozava com seu pau dentro de mim,ele segurando meu quadril contra seu pau e gozamos juntos.



Ficamos deitados abraçadinhos,pensando em tudo que havia acontecido,sabia exatamente o que se passava na cabeça dele,pois era


o que se passava na minha,uma mistura de sentimento,carinho,paixão...Uma sensação de termos voltado no tempo,de sermos livres para viver aquela paixão,mas logo cairíamos na realidade e lembraríamos que deixamos algumas oportunidades passarem em branco e que hoje somos comprometidos e não tem como voltar atrás.Suas mãos percorriam meu ombro enquanto nos beijávamos como se não houvesse o amanhã,seus olhos brilhavam enquanto me olhava,e eu procurava nele,alguma coisa que eu pudesse não gostar,mas isso era impossível seu rosto,sua pele,corpo,personalidade,ele era perfeito,uma paixão parada no tempo sem futuro,apenas vivemos alguns minutos juntos e intensamente.

Após algum tempo,tomamos um banho e conversamos por alguns minutos,falávamos o quanto um fazia falta ao outro e por fim,encerramos nossa conversa, com algumas palavras:

Eu__Posso ser apaixonada por você,mas o amor é maior que a paixão e eu amo meu marido e você sabe disso!

Ele__Sim infelizmente sei disso,mas sei também que passe o tempo que passar,sempre estarei em seus sonhos,mexendo com seu sentimentos!

Ele me levou para casa e nos despedimos com um longo beijo.

Não sei se voltaremos a nos ver,só sei que uma coisa é verdade passe o tempo que passar ele sempre estará presente em meus sonhos.

Anita G.


Leia Mais ››

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Amor sem Regras



Para alguns o amor precisa ser encorajado...
Já pra mim, ele precisa ser é excitado mesmo.
O amor tem sim aquela fase em que
tem que se sentir errado pra ver que vale a pena.
Esse sentimento tem sim que ficar de barraca armada
quando é assediado por uma cachorra chamada loucura.
Tesão certinho é para aqueles que passam a vida
escondendo sensações, e nunca sentiram
a meladeira de uma boca dizendo que
aguenta o duro de uma selvageria.
O casal tem que sentir o caos nos lençóis
sem encurtar nenhuma temperatura...
Amor sem a pele de uma vagabundagem dá sono,
dá preguiça, não levanta... não molha.
Não é errado ser incorreta
em cima daquele que não te deixa muda.
Sabe o que é feio?
É não colocar pra fora seu lado irracional.
Seu lado depravado, despudorado...
E no fim das contas, se deliciar vendo o outro de boca aberta, engolindo o espanto e pedindo mais.

Texto escrito por Deby,da página Perigosamente Quente.

https://www.facebook.com/PerigosamenteQuente

Beijinhus*
Cris
Leia Mais ››

sábado, 23 de novembro de 2013

Prazer Solitário







Sozinha em casa.
Lá fora,cai uma chuvinha fina,e constante,faz um friozinho de leve.
Mas,só lá fora. Aqui dentro,sinto meu corpo incendiado de desejo.
Já tentei outras formas de distração,mas,não consigo acalmar o tesão crescente dentro de mim.
Me deito na cama,e dou asas a imaginação.
Minhas mãos,automaticamente,começam a me acariciar,eu sinto cada parte do meu corpo quente.
Sinto meus mamilos rígidos. Brinco com eles. Aperto meus seios,e deslizo minhas mãos,para aquela parte depilada,e já  úmida,no meio das minhas pernas.
Coloco o shorts de ladinho,e deslizo um dedinho,de baixo pra cima,parando naquele ponto carnudo,que me fez estremecer.
Começo a brincar com ele,com um dedo,dois. Um das mãos desce um pouquinho mais,e introduzo um dedo com facilidade dentro da cavidade molhada,e quente,as carícias no clitóris continuam,alternando-se no ritmo. Coloco mais um dedinho. Meus gemidos surgem instintivamente,meu corpo se contorcendo,dois dedos saindo e entrando do meu corpo,e um dedilhando gostoso meu clitóris.
E foi assim,numa sincronia de movimentos,e,gemendo baixinho,que me entreguei ao prazer, senti meu corpo estremecer,e um líquido escorrer pelos meus dedos,molhando o edredom,sentindo meu sexo pulsando,e com um sentimento de satisfação,que consegui acalmar (por ora) o desejo intenso que me possuiu num sábado a tarde.

Beijinhus*
Cris
Leia Mais ››

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Zeus me descobriu e me despiu__Final

Continuação dos contos:
Zeus me descobriu e me despiu_1° parte
Zeus me descobriu e me despiu_2°parte
Adormeci e ao acordar me encontrava deitada ao lado de Zeus,ele estava com seu braço sobre mim e seus lábios encostado na minha nuca,conseguia sentir sua respiração soprando meu pescoço,meu corpo se arrepiava só de sentir sua respiração,lembrei do o que havia acontecido e o tesão novamente tomou conta de mim.

Levantei com muito cuidado para não acorda-lo,ele apenas se mexeu se arrumando entre os lençóis.Tomei um banho e fui até a cozinha,pois precisava tomar um café,assim que encostei na bancada para preparar o café,sinto alguém atrás de mim,os lábios de Zeus tocavam minha nuca,meu corpo se arrepiou todo,podia sentir seu membro encostar em minha bunda,seus braços me envolvia me deixando prensada em seu corpo,empinei minha bunda afim de sentir mais seu membro,seus beijos mais intensos,suas mãos seguravam meus seios e logo foi tirando a toalha que envolvia meu corpo me deixando nua.

Zeus,beijou minhas costas descendo minha bunda e voltou beijando novamente beijando minhas costas,sentia um arrepio tomando conta do meu corpo,cada toque cada beijo que ele me dava me deixava cada vez mais louca,virei meu rosto para o lado
indo ao encontro de sua boca,nossos lábios se tocaram em um beijo ardente,em seguida Zeus voltou a beijar minha costas,desceu até minha bunda,dando pequenos beijinhos em minhas nádegas,senti suas mãos abri-las em seguida senti sua língua quente e úmida passando pelo meu buraquinho,meu corpo se estremeceu pedindo para ser possuído.

Zeus,segurou em minha cintura me puxando pata atrás,fazendo com que eu ficasse na posição desejada,ele se colocou entre minhas pernas deixando-as bem aberta e foi invadindo meu cuzinho devagar,sentia seu membro me invadir,meu tesão era grande e meus lábios soltavam pequenos gemidos seguidos de algumas palavras.

Zeus,fazia movimentos de vai e vem,primeiramente devagar,sentia seu membro todo dentro de mim em seguida ele retirava,fazia isso inúmeras vezes rapidamente as vezes devagar,enquanto suas mãos acariciavam minhas nádegas e costas,alguns puxões de cabelo o que  fazia com que eu me sentisse dele,eu gemia alto e pedia para que não parasse me me penetrar.


__Zeussss...não paraaa vaiiii...Deliciiiaaa...


Uma de minhas mãos deslizou pelo meu corpo chegando ao meu clítoris,enquanto sentia o membro de Zeus
me penetrando ia brincando com minha xaninha,meus dedos faziam movimentos circulares  e descia para entrada de minha xaninha onde eu sentia ela completamente molhada,colocava dois de meus dedos dentro dela e retirava voltando a brincar com meu grelinho,minhas pernas bambas anunciava meu gozo,Zeus fodia cada vez com mais força meu rabinho,meu corpo se contraia com um orgasmo múltiplo,enquanto meu cuzinho era preenchido por um liquido quente,eu gemia enquanto Zeus puxava meu quadril com seu pau completamente dentro de mim.

Zeus me abraço envolvendo meu corpo todo em seus braços enquanto nos recuperávamos,e me levando para a sala sentamos no sofá e ficamos longos minutos,depois tomamos um banho onde pudemos nos acariciar,beijar...Ao sair do banho coloquei meu roupão enquanto Zeus se arrumava,pois teria que ir,fiquei olhando aquele homem galanteador se arrumar,não queria que ele fosse,mas era assim ele tinha seus compromissos e eu tinha os meus,levei ele até a porta tocando meus lábios nos dele nos beijamos,perguntei quando nos veríamos novamente ele com um sorriso de canto de rosto e um ar sedutor disse:

__Um dia nos veremos novamente!

Me deu um abraço e partiu.

Bom espero que gostem!

Beijinhos

Anita




Leia Mais ››

domingo, 17 de novembro de 2013

Sua.


Sua.
Basta que eu fique nesta posição para que te excites. Eu sei disso. E isso muito me agrada.
Gosto de me sentir mulher capaz de despertar o instinto de um macho,apenas me empinando,e me insinuando para ele.
Arrebito-me e te peço que me faças mulher.
Sua mulher.
Em fogo,peço que me possua.
E nesta posição,a que eu mais gosto,me entrego á você.
Sua.
Me sinto safada. Ousada. Consigo te sentir por inteiro dentro de mim.
Sinto as suas estocadas,cada vez mais forte,suas mãos no meu quadril,por vezes,puxando meu cabelo,e ora,disparando palmadas que me enlouquecem,e me excitam ainda mais.
Até que,simultaneamente,atingimos o clímax,que vem acompanhado,de gemidos,e sussurros alucinados.
E é assim,sentindo-te ainda dentro de mim,pulsando,seu peito sobre minhas costas,seus beijos em meu rosto,e palavras ao pé do ouvido,que mais uma vez,a certeza se confirma dentro de mim.
Sou Sua.

Beijinhus*
Cris

Leia Mais ››

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Presa.

Depois de muita conversa,marcaram um encontro.
Tesão a flor da pele,desejo exalando. Ansiedade.
Chegaram ao motel,ele abriu a porta do carro,pra ela descer,e abriu a porta do quarto,ela entrou,e sentiu um cheiro agradável. O quarto estava á meia luz,uma música envolvente,rosas,decoravam a suíte.
Beijou-a,docemente. Ela foi pro banho,demorado,calmo. Quando saiu,ele a esperava na cama,com duas taças de champagne. Beberam,e conversaram,sobre o quanto haviam desejado estar ali. E então,quando as palavras,começaram a não fazer mais sentido,começaram a se beijar. Com vontade,volúpia,as mãos percorrendo os corpos. De súbito,ele parou,e foi pegar algo. Aproximou-se dela, e ajudou-se a levantar. deu a volta, e colocou uma venda em seus olhos.Aquele gesto a deixou surpresa,excitada,e molhada. Pegou-a no colo,e deitou-a novamente na cama. Pegou uma de suas mãos,levou-a a boca,e depositou um beijo suave.Delicadamente,algemou-a na cama,juntamente com a outra mão que havia ficado.
Todos os sentidos dela,estavam em estado de alerta. Respiração ofegante,aquele perfume inundando o ambiente,e um desejo tomando conta do seu corpo todo.
Silêncio,ela ouvia somente a música. Onde ele estava? O que estava fazendo? 
Ela sentiu as mãos dele,em seus pés.Elas foram subindo pelas suas pernas,coxas,sentiu os dedos
passando,de leve,pelo monte de vênus,fazendo-a se arrepiar,e se mexer.
-Shh!! fique quietinha meu bem. Ele disse.
Suas mãos subiram pela barriga dela,e chegaram em seus seios. Rígidos,de tesão,e ansiedade. Ele começou a brincar com um mamilo,entre seu polegar,e indicador,e então ela sente o outro seio sendo acariciado por sua língua quente,e úmida.
Ela não se conteve,e soltou um suspiro de prazer. A língua dele brincava com seus mamilos,alternando,entre um e outro. Beijou o pescoço,e chegou na boca. Beijando-a como se fosse a última vez.
O corpo dela estava queimando. Ela o queria agora,mais que nunca. Ele sussurrava em seu ouvido:
-Gostosa,você é minha. Só minha.
Parou com os beijos,e saiu de cima dela.
Ela sentiu algo bater em sua boca,e a abriu então,sentiu aquele membro duro,e grande,invadir toda a sua boca. Sentiu aquele gosto familiar,e começou a chupar aquele pau que ela tanto amava,que a fazia delirar de prazer. Ela passava a língua por toda sua extensão,e abocanhava,tudo o que conseguia. Ele segurou a cabeça dela,com as duas mãos,e começou a fazer rápidos movimentos, socando,ela sentia o pau batendo em sua garganta,e ouvia os gemidos deliciosos dele.Parou.
Derrepente,ela sente algo gelado no seu peito,descendo pelo seu corpo.Ele tinha um cubo de gelo na boca. E por onde esse cubo passava,ela sentia uma corrente elétrica,percorrendo o seu corpo.
ele parou. Era uma tortura cada vez que ele parava daquela forma.
 E então,ela sentiu a língua dele gelada ali no meio das suas pernas. Ele começou a chupá-la com vontade,como se quisesse sugar o seu gozo,passando a língua pelo clítoris,e por toda a região da vagina,penetrando-a,e voltando ao clítoris. Ela gritou de prazer quando sentiu aquilo,começou a gemer e se contorcer. Ele colocou um dedo dentro daquela vagina molhada,sentindo ela acolher seu dedo,com carinho,e desejo. Começou a fazer vai-e-vem com o dedo,no mesmo ritmo da língua no clítoris. Ela gemia...
Ele tirou o dedo,e colocou então,naquele buraquinho apertadinho,que ela tinha mais abaixo,foi avançando lentamente,fazendo movimentos circulares,e ele sentiu que o corpo dela começava a tremer.
E então ele parou!
-Não! Por favor,não!!! Ela reclamou.
-O que você quer? Ele perguntou?
-Você sabe.
-Não,não sei.
-Por favoor!!
-Vai ter que pedir meu bem. Ele disse,e passou levemente a ponta da língua em seu clítoris.
Aquilo já era demais. Ela estava enlouquecida de prazer.
-Eu quero gozar! me faz gozar,por favor!
-Boa menina. você sabe o que você é,não sabe?
Ela se contorcia,sentindo a respiração dele,perto da sua vagina.
-O que você é meu bem? Diga pra mim.
-Puta.
-Ele colocou um dedo dentro dela.
-De novo querida. O que você é?
-Puta. Sua Puta.
Satisfeito,ele abocanhou novamente sua vagina,beijando-a com volúpia,e instantaneamente,sentiu o corpo dela estremecer,e seus gemidos altos,de quem atingiu o clímax.
Antes que pudesse se recuperar,ela sentiu ele a invadir,com seu pênis. Ainda sob os efeitos do orgasmo,ela sentia aquele pau latejando dentro dela,ele começou a foder forte,enquanto a chamava de puta,vadia. E dizia que ela era dele.
-Sim,sua,sou sua.
Beijava seus seios,sua boca,seu pescoço.
Era uma tortura senti-lo ali,e não poder tocá-lo,e não poder olhar em seus olhos,não poder ver o tesão que ele estava sentindo.
Os gemidos de ambos,se misturavam a musica. Ele colocou as pernas dela nos seus ombros,e começou a foder com toda a força possível.
Então,ela sentiu seu pau pulsar,e sentiu-se inundar pelo gozo que ele expelia,enquanto apertava suas pernas.
Ficaram assim,por alguns instantes. Em silêncio.Ele dentro dela,pulsando. ela com um sentimento de satisfação,inexplicável.
Ele retirou o membro já flácido,de dentro dela. E,delicadamente,soltou as suas mãos,acariciando seus pulsos. Ergueu a cabeça,e retirou a venda. Olhou-a nos olhos,e sorriu.


Beijinhus* 
Cris.

Leia Mais ››

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

D'ele.



Minha respiração entrecortada,acelerada,ofegante,difícil de controlar.
Mãos geladas,estômago com 50 mil borboletas que não paravam quietas um segundo,se revezando,e brigando por um espaço,indo,o tempo todo para todos os lados.
Eu me sentava,e meus pés se balançavam,involuntariamente,eu me levantava,e eles começavam a se mover,me levando de um lado pro outro.
 Em uma das mãos,o celular,depois noutra,depois na cama,na mesa.Eu ouvia o tic-tac de um relógio que se quer existia.
Finalmente,um barulho de carro. -coração em ritmo de escola de samba. Porta batendo,alarme acionado. E a maçaneta se moveu.-silêncio total. Onde está.meu coração?
E então ele entra. -e eu solto a respiração,que ficou suspensa por alguns segundos.
Ele. Do alto de seus 1,98 de altura. Vestido de Preto,camisa entre aberta,cabelos bem penteados,perfume inebriante.Me deu um sorriso tao sedutor,que tive que me concentrar na coordenação motora,pra não cair. Graciosamente,deixou seus pertences sobre o balcão,e veio caminhando em minha direção. Eu,hipnotizada com o conjunto da obra,me sentia a milhas de distância -ele não chegava até mim nunca!
Ele para na minha frente,passa a mão pelos meu cabelos,pelo meu rosto,segura meu queixo,e pousa um suave beijo nos meus lábios.
Meu corpo reconhece o seu toque.
Ele gira em torno de mim, coloca meus cabelos pata frente. E me dá um beijinho no pescoço, bem em Cima da borboleta tatuada. Um único beijinho.
Que me fez estremecer da cabeça aos pés.
Abriu o zíper do meu vestido,eu senti o tecido da única peça de roupa que eu usava,escorregar pelas minhas pernas. Sua boca,e suas mãos suaves,seguiram a trilha do meu vestido. Me deixando somente de sandálias.
Gentilmente,me ajudou a desenrolar os pés dos tecidos. Me pegou no colo,e,olhando nos meus olhos,me deitou sobre a cama.
Em pé,de frente para mim,ele começou a se despir,lentamente,botão,por botão,me causando um misto de tortura (por não ser eu a fazê-lolo excitado) e visão do paraíso. Foi revelando seu corpo forte,e perfeito. Agora ele estava nu. E eu sem ar.
Veio por cima de mim,se encaixou entre minhas pernas,e me deu um beijo longo,gostoso,apaixonado,que foi se intensificando,ficando quente,envolvente,suas mãos começaram a me apertar,e eu senti sua ereção entre minhas pernas. Subitamente,ele parou,segurando meu queixo.
Abri meus olhos,e ele estava me olhando. Seus olhos,de um castanho suave,crispavam,negros como a noite.
Eu já estava molhada,corpo em chamas.
Puxei a corrente dourada,que usava no pescoço,procurando sentir sua boca em mim novamente. Ele me beijou com ardor,Beijou meu pescoço,roçando sua barba por fazer na minha pele,chegando aos meus seios. Beijou-os suavemente,e sugou um com delicadeza,enquanto acariciava o outro com o polegar,brincando com a lingua no meu mamilo excitado.
Deslizou a mão que estava no meu seio,pelo meu corpo,chegando ali,naquela parte úmida no meio das minhas pernas...Ficou brincando por um tempo,sentindo toda minha excitação.
Ele me olhou nos olhos,e colocou um dedo dentro de mim. Eu soltei um longo suspiro de satisfação.
Ele então seguiu a mesma trilha feita com as mãos,mas,dessa vez,com a língua.
Ao passar a língua pelo meu clítoris,eu quase perdi os sentidos,ele beijava,chupava,de forma ímpar,alternando o ritmo,vez em quando,colocava um dedo,ou dois,dentro de mim,e,quando eu estava quase gozando,ele parava,e ficava me observado,com seus olhos (agora) negros.Me castigando,judiando,meu corpo em febre,só precisava dele,só queria ele.
Ele me colocou de quatro,e ficou me lambendo assim por um tempo,me torturando. Logo parou,e eu senti a ponta daquele membro enorme,e lindo,na entrada do meu sexo.
Prendi a respiração.
Ele foi colocando devagar,me preenchendo por inteira,quando estava todo dentro de mim,parou,pra que meu corpo se acostumasse.
Como se fosse necessário,eu era dele,cada parte do meu corpo pertencia a ele.
Passou as mãos suavemente por minhas costas,e começou a fazer um suave movimento de vai-e-vêm,eu sussurrando,ele apertando minhas nádegas.
Eu não respondia mais por mim.Somente a ele. Seu toque,seu cheiro,suas mãos...
Ele se inclinou sobre mim,e eu ouvi sua voz (Pela primeira vez nessa noite), bem próximo a minha orelha.
-Preparada meu bem?
Eu estava sem voz. Apenas sussurrei um -Sim desconcertado.
Ele então,começou a me penetrar com força,gemendo,e dizendo que eu era sua. Sim,eu era dele.
Usava meus cabelos como rédeas,me enlouquecendo,disparava uns tapas na minha bunda,eu queria mais,muito mais,queria ele por completo.
Não aguentei por muito tempo,e meus gemidos ficaram mais altos,anunciando o gozo próximo.
-Goza pra mim,gostosa. Goza pro seu macho!
Como se estivesse somente esperando ele ordenar,meu corpo explodiu num gozo intenso,e maravilhoso,apertando aquele membro dentro de mim.
Ele não parou.Continuou me penetrando com força,dizendo que eu era dele.
-Você é minha! minha puta! esse corpo é meu.
E foi me fodendo dessa forma,que senti a respiração entrecortar,e suas mãos me apertarem com mais força,e senti os jatos quentes dentro de mim,me inundando,seu pênis pulsando,e a respiração voltando ao normal.
Ficamos assim por algum tempo. Imóveis.
Devagar,saiu de dentro de mim,e se deitou ao meu lado,me puxando para si.
Me deitei sobre o seu ombro,ele me deu um beijinho na testa,e passou seu braço acolhedor em volta de mim.
E assim,feliz,e realizada,eu adormeci nos braços D'ele.


Beijinhus*
Cris
Leia Mais ››